Home











...



« Memória Empresarial • ANO XXVIII - Ed. 8 (11/09/1987)

Qual a Ação Correta para Crescer?

A experiência empresarial é uma fonte de idéias para a melhora das condições do mercado e, conseqüentemente, para o desenvolvimento e a geração de empregos. É no "front" produtivo que se estabelecem as linhas mestras da gestão estratégica, fornecendo, inclusive, farto material que depois é compilado e difundido pelos especialistas em administração.
O trabalho de Romeu Trussardi Filho como diretor-presidente da Trufana Têxtil S. A. www.trussardi.com.br –, uma das três principais empresas do setor no País, é um exemplo dessa composição diária de idéias e sugestões para um empreendimento poder crescer e, assim, segundo suas próprias palavras, trazer bem-estar ao povo e ao País. Para ele, é importante abrir o capital da empresa, desde que isso seja feito de maneira criteriosa. Outra providência é diversificar ao máximo os produtos, encontrando uma fórmula para torná-los viáveis economicamente. E é preciso investir em tecnologia, sem descuidar do objetivo principal, que é atingir o consumidor.
A Trufana foi criada em 1971, resultante da fusão de duas empresas do ramo têxtil, a Trussardi - fundada pelos avô de Romeu no final do século passado - e a Farah Nassif. Hoje, emprega quinhentos funcionários e produz principalmente tecido bordado. No depoimento a seguir, Romeu Trussardi detalha suas sugestões para o crescimento e as mudanças necessárias na realidade empresarial brasileira.

DEMOCRACIA ECONÔMICA

"Uma empresa de grande porte precisa estar sempre capitalizada para enfrentar crises ou problemas de negociação, principalmente com o mercado externo. Além de aproveitar melhor as oportunidades sem depender de financiamentos bancários, ela cumpre exigências estruturais, seja na profissionalização, seja na apresentação de resultados regulares e transparentes aos acionistas. Isso, no fundo, é uma pressão saudável para que as empresas se mantenham em melhores condições de competitividade e desempenho.
Quando abrimos o capital da Trufana, em agosto de 1986, logo providenciamos mudanças estruturais, tornando-a mais profissional, principalmente na área contábil-administrativa, para atender, numa primeira fase, as exigências legais. Depois de passar por essa experiência, concluí que a empresa precisa ter certo porte para a tradicional abertura de capital, que precisa ser feita de maneira criteriosa.
Eu penso que a capitalização é muito importante, mas os participantes deveriam capitalizar a empresa, ficando com uma parte dela, longe dessa pulverização que hoje domina o mercado de ações. Optamos por esse caminho, pois, quanto maior o número de empresas capitalizadas no País, através do mercado, mais democratizada será a economia e mais saudáveis serão as empresas."

REGRAS BÁSICAS
"Trabalhar em três turnos, adaptar, ampliar e programar muito bem seus equipamentos são regras básicas adotadas pela Trufana, de forma a conciliar seus diferentes tipos de produto, sem prejuízo da produtividade de cada um. Ampliar o leque comercial é outro fator importante que incrementamos, a partir de 1981. Nessa época, predominavam as vendas aos grandes clientes, atacadistas e confecções, concentrados nos mercados da região Sudeste.
Passamos a ampliar de forma diferenciada nossa área geográfica e, hoje, trabalhamos com uma grande rede, a partir de setenta vendedores, que cobrem todo o território brasileiro. Utilizamos todos os canais de distribuição disponíveis: atacado, varejo, indústria de confecções, ateliês, armarinhos. Isso, às vezes, gera conflitos internos, principalmente na parte da produção, em que os equipamentos devem ser ajustados.
Hoje, a Trufana Têxtil atua em diversos campos: alta-costura, no ramo das noivas, linha infantil, a esportiva, a jovem com emblemas, a de cama e mesa, de decoração, lingerie etc. Nosso principal produto é o tecido bordado, dividido em três categorias: o artesanal, o industrializado e o superautomatizado, que é confeccionado em equipamentos que bordam entre 20 e 42 jardas de uma só vez. A produção média mensal é de 250 mil metros de tecidos de diversos tipos."

INVESTIR NAS PEQUENAS EMPRESAS

"O mercado exportador é muito importante para equilibrar a receita, principalmente no Brasil, onde a situação econômica é muito instável. Apesar das limitações, vendemos, hoje, para alguns países da América Latina, que, sem os obstáculos existentes, como a proibição das importações, seriam os compradores ideais. Nossos vizinhos não apresentam problemas de concorrência acirrada como acontece, por exemplo, nos Estados Unidos, especialmente devido à presença dos asiáticos nesse mercado.
A empresa, hoje, é o veículo ideal para trazer o bem-estar ao povo e ao país em que se instala. Além de criar empregos e fornecer produtos, ela ajuda a educar o funcionário, permitindo-lhe uma ascensão na escala social. As empresas estão desempenhando uma função importante no Brasil, só não são mais eficazes devido a problemas de conjuntura econômica. Penso que o governo deveria criar mecanismos mais adequados às pequenas empresas, que são responsáveis por grande parte das inovações tecnológicas do mundo."


« Entrevista Anterior      Próxima Entrevista »
...
Realização:
IMEMO

MANTENEDORES:

Sianet

Candinho Assessoria Contabil

CNS

CRA-SP

Orcose Contabilidade e Assessoria

Hífen Comunicação


Pró-Memória Empresarial© e o Programa de Capacitação, Estratégia e Motivação Empreendedora Sala do Empresário® é uma realização do Instituto da Memória Empresarial (IMEMO) e publicado pela Hífen Comunicação em mais de 08 jornais. Conheça a história do projeto.

Diretor: Dorival Jesus Augusto

Conselho Assessor: Alberto Borges Matias (USP), Alencar Burti, Aparecida Terezinha Falcão, Carlos Sérgio Serra, Dante Matarazzo, Elvio Aliprandi, Irani Cavagnoli, Irineu Thomé, José Serafim Abrantes, Marcos Cobra, Nelson Pinheiro da Cruz, Roberto Faldini e Yvonne Capuano.

Contato: Tel. +55 11 9 9998-2155 – [email protected]

REDAÇÃO
Jornalista Responsável: Redação do Jornal O Estado de S. Paulo • Repórter: ;
Revisão: Angelo Sarubbi Neto • Ilustrador: Novo

PROIBIDA A REPRODUÇÃO TOTAL OU PARCIAL DESTAS ENTREVISTAS sem permissão escrita e, quando permitida, desde que citada a fonte. Vedada a memorização e/ou recuperação total ou parcial, bem como a inclusão de qualquer parte da obra em qualquer sistema de processamento de dados. A violação dos Direitos Autorais é punível como crime. Lei nº 6.895 de 17.12.1980 (Cód. Penal) Art. 184 e parágrafos 185 e 186; Lei nº 5.998 de 14.12.1973


Hífen Comunicação
© 1996/2016 - Hífen Comunicação Ltda. - Todos os Direitos Reservados
A marca Sala do Empresário - Programa de Capacitação, Negócios e Estratégia Empresarial
e o direito autoral Pró-Memória Empresarial, são de titularidade de
Hífen Comunicação Editorial e Eventos Ltda.