Home











...



« Memória Empresarial • ANO XXVIII - Ed. 471 (15/04/2001)

Um Brinde ao Profissionalismo

Ao deixar o amadorismo para trás, o segmento de brindes parte cada vez mais em busca da qualidade dos produtos e do atendimento. O cuidado começa na hora de fazer o contrato social da empresa e continua no cumprimento dos prazos estabelecidos com os clientes, evitando uma conduta oportunista, que vai contra a manutenção desse tipo de atividade. Para orientar e assessorar a categoria, bem como conscientizar todo o mercado brasileiro da importância estratégica do brinde como instrumento de marketing, foi criada há quinze anos a Associação Nacional dos Fabricantes de Brindes e Produtos Promocionais (Anfab) - www.anfab.org.br. Em depoimento exclusivo, Fabio Bom Angelo, presidente da entidade, conta como tem sido o trabalho e a luta para profissionalizar um setor que fatura atualmente R$ 1,2 bilhão por ano.

MÍDIA DEMOCRÁTICA
"O segmento de brindes encontra-se hoje em franca expansão, em razão da sua cultura de aplicação no mercado, seja para microempresas, seja para multinacionais de qualquer região do País, oferecendo opções de todos os preços. O grande conceito a ser trabalhado nesse sentido seria ainda mostrar que o brinde não funciona como uma peça isolada de marketing, como um fim em si mesmo, mas somente a partir de um contexto, dentro de um mix de comunicação. Por isso, é preciso desenvolver uma estratégia promocional para fidelizar o cliente que não vise apenas uma venda imediata. Costumamos dizer que o melhor brinde é aquele que o cliente ganhou do concorrente, o que implica a necessidade constante de marcar presença, lembrando que o centímetro quadrado mais valioso que existe é a mesa ou o ambiente da pessoa com quem se quer interagir comercialmente. Aí entra um fator básico, que seria compreender o que é brinde, o que é artigo promocional, o que é presente, o que é souvenir, o que é prêmio, porque a confusão é muito grande nessa área e a palavra brinde ficou banalizada. Definimos o brinde como um presente com uma finalidade comercial, sendo em geral personalizado com a marca da organização. Temos cerca de 4 mil tipos de brindes catalogados, só que existem uma infinidade de alternativas que também podem gerar personalizações."

REFERENCIAL
"No ano passado, foi estabelecido no Brasil o código de ética do funcionário público, que referencia o valor de R$ 100 para o caso de receber presentes sem se sentir comprometido. Em cima disso, também adotamos esse mesmo valor para configurar o brinde. Como não havia uma unidade e uma visão associativa entre as empresas fabricantes de brindes no Brasil, criamos dentro da associação alguns grupos setoriais para os empresários se conhecerem, para saberem mais sobre fornecedores e matérias-primas. Nosso marketing é mostrar que as empresas podem e devem usar brindes durante o ano inteiro, e não apenas no final do ano como uma simples ação isolada. Enquanto aplicador, o profissional de marketing deve enxergar o brinde como uma ferramenta poderosa, desde que se saiba interagi-lo dentro da engrenagem. Levar essas informações é a grande missão da entidade. Para isso, utilizamos cartilhas simples e práticas que ensinam todas as etapas da escolha de brindes promocionais."

PARCERIAS
"As grandes empresas geralmente conseguem que os fornecedores banquem as campanhas e a distribuição dos brindes, o que não ocorre com as empresas de menor porte. Para esse nicho, sugerimos o estabelecimento de parcerias de forma cooperada com os negócios vizinhos, no mesmo bairro ou na mesma região, que não sejam concorrentes. O importante não é o valor material, uma vez que o apreço por um brinde é uma característica humana universal, mas sim a criatividade e o senso de utilidade na hora de marcar presença junto do consumidor. Além disso, o Correio lançou um serviço muito bom, que é o Sedex Brindes e também a mala direta domiciliar. Qualquer varejista, bar, restaurante, farmácia ou prestador de serviços, pode enviar para as localidades que deseja, por meio do carteiro e com toda a segurança e tarifas especiais, o seu brinde ou a sua mensagem, sem ter os nomes das pessoas, utilizando a capilaridade que só o Correio tem."


« Entrevista Anterior      Próxima Entrevista »
...
Realização:
IMEMO

MANTENEDORES:

Sianet

Candinho Assessoria Contabil

CNS

CRA-SP

Orcose Contabilidade e Assessoria

Hífen Comunicação


Pró-Memória Empresarial© e o Programa de Capacitação, Estratégia e Motivação Empreendedora Sala do Empresário® é uma realização do Instituto da Memória Empresarial (IMEMO) e publicado pela Hífen Comunicação em mais de 08 jornais. Conheça a história do projeto.

Diretor: Dorival Jesus Augusto

Conselho Assessor: Alberto Borges Matias (USP), Alencar Burti, Aparecida Terezinha Falcão, Carlos Sérgio Serra, Dante Matarazzo, Elvio Aliprandi, Irani Cavagnoli, Irineu Thomé, José Serafim Abrantes, Marcos Cobra, Nelson Pinheiro da Cruz, Roberto Faldini e Yvonne Capuano.

Contato: Tel. +55 11 9 9998-2155 – [email protected]

REDAÇÃO
Jornalista Responsável: Maria Alice Carnevalli - MTb. 25.085 • Repórter: Fernando Bóris;
Revisão: Angelo Sarubbi Neto • Ilustrador: Eduardo Baptistão

PROIBIDA A REPRODUÇÃO TOTAL OU PARCIAL DESTAS ENTREVISTAS sem permissão escrita e, quando permitida, desde que citada a fonte. Vedada a memorização e/ou recuperação total ou parcial, bem como a inclusão de qualquer parte da obra em qualquer sistema de processamento de dados. A violação dos Direitos Autorais é punível como crime. Lei nº 6.895 de 17.12.1980 (Cód. Penal) Art. 184 e parágrafos 185 e 186; Lei nº 5.998 de 14.12.1973


Hífen Comunicação
© 1996/2016 - Hífen Comunicação Ltda. - Todos os Direitos Reservados
A marca Sala do Empresário - Programa de Capacitação, Negócios e Estratégia Empresarial
e o direito autoral Pró-Memória Empresarial, são de titularidade de
Hífen Comunicação Editorial e Eventos Ltda.