Home











...



« Memória Empresarial • ANO XXVIII - Ed. 571 (16/03/2003)

E-commerce Testado e Aprovado

Uma pesquisa recente da Fiesp revela que 27% das grandes corporações do Estado de São Paulo não fazem planos para a implementação do comércio eletrônico. Esse índice sobe para 62% no caso das pequenas empresas. A falta de interesse pelo e-commerce pode ser justificada, em parte, pela dificuldade de conseguir financiamentos e também pela elevada carga tributária. No entanto, é preciso que os dirigentes empresariais percebam, e rápido, a necessidade de ingressar no mundo digital, sob pena de assistir à exclusão do seu negócio do mercado globalizado. Além de ser um canal aberto 24 horas por dia e sete dias por semana, a Internet possibilita uma grande interação com os consumidores dentro e fora do País. Para ter um site bem-sucedido, porém, é fundamental conhecer o perfil dos clientes, prestar serviços eficientes, além de inovar sempre. Essa é a receita da Tecnisa Engenharia e Comércio, que investiu R$ 900 mil em vendas on-line só em 2002. Em depoimento exclusivo, Alejandro Dicovsky - e-mail: [email protected] - Tel.: (11) 3069-9660, gerente de e-business, relata a experiência bem-sucedida da construtora.

ATRASO
"A Internet começou com força no Brasil em 1998, e aí veio a primeira grande queda da Nasdaq em abril de 2000. Naquele momento, as empresas brasileiras estavam preparando-se para investir com mais profissionalismo em Internet. Naturalmente, ocorreu aqui o mesmo impacto que houve no Primeiro Mundo, com demissões e fechamento de empresas. A Internet foi uma frustração muito grande, porque se criou uma expectativa equivocada de que o mundo iria transformar-se. Na verdade, ela é a ponta-de- lança de outra área que é a Tecnologia de Informação (TI), na qual o Brasil também está atrasado. Cerca de 60% dos projetos envolvendo software de gestão empresarial não dão certo, porque existe uma preocupação muito grande com a parte física e as empresas se esquecem dos recursos humanos envolvidos no processo. Se estabelecermos um link do passado com o hoje e com o futuro, podemos dizer que a Internet no Brasil ainda está engatinhando, assim como a própria Tecnologia de Informação."

AÇÃO CONJUNTA
"Para os próximos anos, a previsão é de um avanço constante, mas muito heterogêneo. Seria importante que houvesse uma ação conjunta envolvendo a sociedade, os empresários e o governo para estimular o uso da Internet, que é absolutamente interativo. O usuário pode ler texto, ver fotos em três dimensões, mandar e-mail, ter uma conversa em tempo real num chat, enviar um formulário, entre outros procedimentos exclusivos desse meio. No caso do e-commerce, a primeira vantagem está na disponibilidade em termos de tempo, e a segunda é não precisar de um vendedor, porque já existe um sistema projetado para orientar o cliente que pode receber milhares de acessos simultaneamente. Outra vantagem que a Internet aliada à Tecnologia de Informação permite é a chamada personalização em massa. O cenário que se está configurando hoje no mundo dos negócios é uma integração entre a Internet, os pontos de venda do mundo real e o telemarketing."

RETORNO
"A Tecnisa cresceu 50% em termos de faturamento em 2002, e nós tivemos um retorno sobre o investimento no site de praticamente 350% em dez meses, além da interação com 500 mil internautas e a geração de 10 mil cadastros. Nós não fazemos e-commerce puro, trabalhamos muito a pré-venda, oferecendo todas as informações para usuário saber quem é a Tecnisa. Para ser bem sucedido nas vendas on-line, é preciso ter consciência das necessidades do cliente e, a partir dessa etapa, fazer um bom planejamento. É necessário contratar uma produtora de sites, e todo cuidado é pouco, porque existem empresas que dizem que são boas e não são, fora as que quebram no meio do caminho. Deve-se checar referências e pensar numa plataforma que pode ser aumentada gradativamente. As chamadas na página principal precisam mudar para o internauta perceber a preocupação em atualizar. Outro fator importante é não colocar no ar, de imediato, uma chamada para receber 5 mil acessos simultâneos. Tem que começar devagar, pois é um aprendizado constante, e um site deve estar sempre aberto às mudanças."


« Entrevista Anterior      Próxima Entrevista »
...
Realização:
IMEMO

MANTENEDORES:

CRA-SP

Orcose Contabilidade e Assessoria

Sianet

Candinho Assessoria Contabil

CNS

Hífen Comunicação


Pró-Memória Empresarial© e o Programa de Capacitação, Estratégia e Motivação Empreendedora Sala do Empresário® é uma realização do Instituto da Memória Empresarial (IMEMO) e publicado pela Hífen Comunicação em mais de 08 jornais. Conheça a história do projeto.

Diretor: Dorival Jesus Augusto

Conselho Assessor: Alberto Borges Matias (USP), Alencar Burti, Aparecida Terezinha Falcão, Carlos Sérgio Serra, Dante Matarazzo, Elvio Aliprandi, Irani Cavagnoli, Irineu Thomé, José Serafim Abrantes, Marcos Cobra, Nelson Pinheiro da Cruz, Roberto Faldini e Yvonne Capuano.

Contato: Tel. +55 11 9 9998-2155 – [email protected]

REDAÇÃO
Jornalista Responsável: Maria Alice Carnevalli - MTb. 25.085 • Repórter: Fernando Bóris;
Revisão: Angelo Sarubbi Neto • Ilustrador: Eduardo Baptistão

PROIBIDA A REPRODUÇÃO TOTAL OU PARCIAL DESTAS ENTREVISTAS sem permissão escrita e, quando permitida, desde que citada a fonte. Vedada a memorização e/ou recuperação total ou parcial, bem como a inclusão de qualquer parte da obra em qualquer sistema de processamento de dados. A violação dos Direitos Autorais é punível como crime. Lei nº 6.895 de 17.12.1980 (Cód. Penal) Art. 184 e parágrafos 185 e 186; Lei nº 5.998 de 14.12.1973


Hífen Comunicação
© 1996/2016 - Hífen Comunicação Ltda. - Todos os Direitos Reservados
A marca Sala do Empresário - Programa de Capacitação, Negócios e Estratégia Empresarial
e o direito autoral Pró-Memória Empresarial, são de titularidade de
Hífen Comunicação Editorial e Eventos Ltda.