Home











...



« Memória Empresarial • ANO XXVIII - Ed. 776 (18/02/2007)

Independência da China

Untitled Page

A uniformidade das peças fabricadas em larga escala, principalmente pela China, que exporta para quase todos os países do mundo a preços bem competitivos, faz com que o leque de opções em determinados setores da economia seja sempre o mesmo. O mercado de brindes é um deles, mas o argentino Alejandro Mugetti, fundador e diretor da Memory Brindes - www.memorybrindes.com.br - que em uma das viagens de negócios para o Brasil acabou conhecendo sua mulher e sócia até hoje, percebeu essa limitação e passou a investir na produção e na personalização de brindes para o segmento corporativo, restringindo, assim, as importações somente para os componentes eletrônicos. Dessa forma, a empresa pôde diferenciar-se da concorrência em termos de opções para o mercado consumidor, além de possibilitar um atendimento personalizado de acordo com as necessidades de cada cliente com criatividade e customização. Em depoimento exclusivo e otimista com as oportunidades que encontrou no mercado brasileiro para o empreendedorismo, ele relata uma trajetória bem-sucedida e confessa que seria muito mais difícil tornar-se empresário se permanecesse na Argentina.

SOLUÇÕES
"Começamos bem pequenos, importando peças e fazendo a impressão das marcas dos clientes nos brindes. Depois, crescemos um pouco e passamos a entrar mais no mercado. Há seis anos, decidimos começar a fabricar os nossos produtos. Como as outras empresas que importavam, tínhamos vários problemas. Um deles era a distância e o tempo que levava para trazermos a mercadoria da China para o Brasil. Também era difícil liberar a mercadoria rapidamente. O segundo problema estava em ter um capital grande parado, porque tínhamos que ter variedade de produtos para oferecer ao mercado brasileiro. O terceiro problema estava no fato de que não tínhamos produtos diferentes dos nossos concorrentes, já que todos compravam da mesma fonte, o que tornava a concorrência difícil e nivelada apenas pelo preço. A estratégia era ter um produto diferenciado e personalizado. O foco foi sempre atender melhor ao cliente e, para isso, tivemos que contratar um departamento comercial, montar uma assessoria de imprensa. Foi então que começamos a perceber que havia uma demanda muito forte para produtos altamente customizados nessa área."

TRANSIÇÃO
"A nossa passagem da comercialização para a industrialização de brindes demorou de três a quatro anos. Como nesse mercado a questão de prazos sempre foi muito sensível, nós não podíamos depender da manufatura dos equipamentos. Por isso, resolvemos fabricá-los aqui mesmo. Nós tínhamos que juntar todos os recursos para poder cumprir os prazos de entrega, além de trabalhar muitas vezes com quantidades pequenas que não são viáveis para o mercado. Hoje, conseguimos fazer moldes em uma semana que, antes, demoravam cerca de sessenta dias para ficar prontos. Também já conseguimos viabilizar produções com o mínimo de mil peças, chegando a 5 mil peças para produtos customizados, o que representa um diferencial muito competitivo em relação à concorrência."

INTEGRAÇÃO
"Não conseguimos produzir muito mais barato que a China, só que nos tornamos uma empresa mais confiável no mercado, que pode cumprir prazos e negociar para atender melhor ao cliente com qualidade e quantidade. Estamos trabalhando agora na integração de todas as áreas da empresa, interna e externamente, pois queremos interagir com os clientes nesses processos. Estamos terminando a instalação da última parte de três sites em três línguas - inglês, espanhol e português - que permitem realizar as operações de cotação e de layout, com possibilidade de fazer sugestões. Esse portal vai chamar-se Memory e permitir que qualquer empresa possa acessar e encomendar os seus brindes. Para nós, é muito importante ter essa informação no momento, de forma clara e definida, porque os nossos produtos possuem muitas especificações particulares para cada venda, envolvendo questões de cores, de impressão, da logomarca, que precisam estar na tonalidade exata. Enfim, há uma infinidade de pormenores, e, em muitos casos, temos de estabelecer também a logística de entrega para as filiais."


« Entrevista Anterior      Próxima Entrevista »
...
Realização:
IMEMO

MANTENEDORES:

Sianet

Candinho Assessoria Contabil

CNS

CRA-SP

Orcose Contabilidade e Assessoria

Hífen Comunicação


Pró-Memória Empresarial© e o Programa de Capacitação, Estratégia e Motivação Empreendedora Sala do Empresário® é uma realização do Instituto da Memória Empresarial (IMEMO) e publicado pela Hífen Comunicação em mais de 08 jornais. Conheça a história do projeto.

Diretor: Dorival Jesus Augusto

Conselho Assessor: Alberto Borges Matias (USP), Alencar Burti, Aparecida Terezinha Falcão, Carlos Sérgio Serra, Dante Matarazzo, Elvio Aliprandi, Irani Cavagnoli, Irineu Thomé, José Serafim Abrantes, Marcos Cobra, Nelson Pinheiro da Cruz, Roberto Faldini e Yvonne Capuano.

Contato: Tel. +55 11 9 9998-2155 – [email protected]

REDAÇÃO
Jornalista Responsável: Maria Alice Carnevalli - MTb. 25.085 • Repórter: Fernando Bóris;
Revisão: Angelo Sarubbi Neto • Ilustrador: Eduardo Baptistão

PROIBIDA A REPRODUÇÃO TOTAL OU PARCIAL DESTAS ENTREVISTAS sem permissão escrita e, quando permitida, desde que citada a fonte. Vedada a memorização e/ou recuperação total ou parcial, bem como a inclusão de qualquer parte da obra em qualquer sistema de processamento de dados. A violação dos Direitos Autorais é punível como crime. Lei nº 6.895 de 17.12.1980 (Cód. Penal) Art. 184 e parágrafos 185 e 186; Lei nº 5.998 de 14.12.1973


Hífen Comunicação
© 1996/2016 - Hífen Comunicação Ltda. - Todos os Direitos Reservados
A marca Sala do Empresário - Programa de Capacitação, Negócios e Estratégia Empresarial
e o direito autoral Pró-Memória Empresarial, são de titularidade de
Hífen Comunicação Editorial e Eventos Ltda.