Voltar
Como Montar a Sua Empresa

O tempo tem mostrado que a abertura de novos negócios, baseados na criatividade e no dinamismo do cidadão brasileiro é fundamental para o desenvolvimento do nosso país.

No entanto, apenas vontade e coragem não são suficientes para o sucesso de um empreendimento. Para encarar tão grande responsabilidade, o novo empresário precisa conhecer os aspectos e as fases que envolvem a abertura de um negócio, as características e dimensões do mercado no qual pretende atuar, a legislação pertinente, os padrões de qualidade, entre outros. Estes fatores, aliados à afinidade com a atividade a ser desenvolvida e à competência gerencial, são predominantes para o sucesso do negócio.

POR QUÊ ABRIR UMA EMPRESA?

    DESEMPREGO: Abrir um Empreendimento por ter perdido o emprego pode não ser a solução de seus problemas, caso não seja precedido por séria pesquisa da área em que deseja atuar.

    CURIOSIDADE: Um ditado popular prega "Dinheiro não aceita desaforo"... As chances do negócio ser bem sucedido são proporcionais ao conhecimento do ramo escolhido, "empresa não combina com aventura".

    INICIATIVA: Pode-se considerar a iniciativa como sendo uma característica do empreendedor, ela embute negócios com boas possibilidades de crescimento, que não são tão comuns e com alta rentabilidade.

PERFIL DO EMPREENDEDOR

    O empreendedor tem como característica básica o espírito criativo e pesquisador, através do qual mantém constante busca por novos caminhos e novas soluções, sempre amparada na identificação das necessidades das pessoas.

    Essa é a essência do empresário de sucesso: a busca de novos negócios e oportunidades, e a preocupação sempre presente com a melhoria do produto.

    Enquanto a maior parte das pessoas tendem a enxergar apenas dificuldades e insucessos, o empreendedor deve ser otimista e buscar o sucesso, a despeito das dificuldades.

    As qualidades que distinguem o empreendedor como líder e dono de seu destino:

    Disposição para assumir Riscos

    • Nem todos têm a mesma disposição para assumir riscos. O empreendedor, por definição, tem que assumir riscos, e o seu sucesso está na sua capacidade de conviver com eles e sobreviver a eles. Os riscos fazem parte de qualquer atividade e é preciso aprender a administrá-los.

    Ter Iniciativa e ser Independente

    • São características intimamente ligadas ao espírito empreendedor e que levam a decisões ousadas como trocar a segurança do "holerit" pelo risco de um negócio próprio, buscando, entre muitos outros fatores, sua realização e independência. Logo, sem iniciativa não pode haver empreendimento e sem vontade e persistência não se pode atingir o sucesso.

    Persuasão e Rede de Contatos

    • Agir influenciando pessoas para obtenção de seus propósitos. Independência e Auto-confiança. Agir com autonomia e confiança em sua capacidade.

    Ser Líder e saber Comunicar-se

    • Liderar é saber conduzir os esforços das pessoas sob nossa coordenação em direção a um objetivo. Um líder sabe redirecionar esforços, quando necessário, conseguindo manter a motivação de seus funcionários.Relacionamento interpessoal é a capacidade de expor e ouvir idéias. É saber comunicar-se e conviver com outras pessoas, dentro e fora da empresa.

    Ser Organizado

    • A organização é fator de sucesso para qualquer empreendimento. Não basta apenas possuir os melhores recursos, mas integrá-los de forma lógica e harmoniosa, fazendo com que o resultado seja maior do que a simples soma das partes.

    Possuir Conhecimento do ramo

    • Este é um fator imprescindível para que se obtenha o sucesso em um empreendimento. Este conhecimento pode ser adquirido pela própria experiência do empreendedor, em informativos especializados, em contato com empreendedores do ramo, associações, sindicatos, etc.

    Identificador de Oportunidades

    • Identificar e aproveitar oportunidades é fundamental para quem deseja ser empreendedor e consiste em aproveitar todo e qualquer ensejo para observar negócios. O empreendedor de sucesso é aquele que não cansa de pesquisar, seja no trabalho, nas compras, nas férias, lendo revistas, jornais, televisão, Internet. Ele é curioso e está sempre atento a qualquer oportunidade de conhecer melhor um empreendimento.

    Possuir Aptidões Empresariais

    • É o instinto, a habilidade natural que o empreendedor deve possuir para identificar uma oportunidade, aproveitá-la, montar um negócio e conduzí-lo ao sucesso. Um empreendedor precisa:

        - Ser persistente: Agir com o empenho necessário para o alcance de objetivos e metas.
        - Ter Comprometimento: Agir com dedicação e responsabilidade para obtenção de resultados.
        - Ser exigente na qualidade e na eficiência: Agir para melhoria contínua de seus processos e produtos.

    Auto-Conhecimento

    • O conhecimento das qualidades mencionadas serve de base para uma auto-avaliação. Assim, ao conhecer os pontos fortes e fracos, pode-se aprimorá-los (fortes) ou minimizá-los (fracos) a fim de obter a capacitação necessária para o sucesso do empreendimento.

PLANEJAMENTO DO NEGÓCIO

    O planejamento não evita riscos, mas ajuda a prevení-los e a enfrentá-los com uma escolha segura da direção a seguir e com a possibilidade de fazer as correções de rumo que forem necessárias.

    O Plano de Negócios serve para detalhar e examinar as idéias, tornando mais claros e precisos os caminhos e recursos necessários.

    Pontos importantes para Reflexão:

    • A que tipo de atividade você pretende se dedicar? Indústria, comércio, serviços, rural?

    • Imagine que tipo de mercadorias irá fabricar e/ou vender ou que serviços irá prestar;

    • Para quem vai produzir e vender essas mercadorias ou serviços; qual vai seu o seu Mercado Consumidor?

    • Quais as pessoas ou empresas que oferecem mercadorias ou serviços iguais ou assemelhados aos que você pretende colocar; qual seu Mercado Concorrente?

    • Quem poderá lhe fornecer equipamentos, matérias e serviços necessários ao funcionamento da empresa; qual o sue Mercado Fornecedor?

    • Elabore um Plano de Negócios, ele deverá contemplar todas as facetas do negócio, estratégias diversas de produção e finanças etc. O Plano de Negócios é o cartão de visitas da empresa ele motiva fornecedores e clientes e mostra o seu grau de controle do negócio.

    Exemplo de Roteiro Básico de Plano de Negócios:

    1 - Ramo de Atividade - registre o(s) ramo(s) de atividade(s) escolhido(s) para seu futuro empreendimento (indústria, comércio, serviços) e acrescente as razões que determinaram a sua escolha;

    2 - Mercado Consumidor - Mercado Consumidor - descreva qual seu tipo de cliente e qual se adapta ao tipo de negócio que você irá montar. Analise e veja todas as informações sobre o mercado em sua região e seu nicho de mercado, analisando também a que classe social este consumidor potencial pertence, sexo, idade, nível de renda, hábitos, formas de lazer e instrução. Clientes potenciais - consulte amigos, parentes, conhecidos, vizinhos, empresas das proximidades, condomínios e prédios residenciais, escolas, clubes, academias, etc. Você sabe o que influencia seus futuros clientes na decisão de comprar coisas e procurar serviços?

    Faça uma pesquisa informal e identifique se o cliente compra pela qualidade, preço, facilidade de acesso, garantias, embalagem, praticidade ou conveniência. Seus futuros clientes querem mercadorias e serviços confiáveis ou os mais baratos ou os mais inovadores?

    3 - Ponto - implantar um negócio num local determinado depende de um exame cuidadoso de inúmeras questões. Perceber, por exemplo, se no ponto visado há problemas de congestionamento, dificuldades para estacionar e a forma de circulação dos pedestres. Esses fatores, aliados aos altos valores do aluguel e luvas cobradas pelo ponto acabam, muitas vezes, inviabilizando o local como opção para implantação de uma loja.

    É bom também perceber as mudanças na região a curto e médio prazos. Vale ainda ao analisar um ponto:

      Dimensões - lojas de moda precisam de uma área razoável para vitrine e boa metragem para potencializar o atendimento de clientes;

      Energia - casas de fast-food e de assistência técnica para eletrônicos, por exemplo, devem evitar locais com sobrecarga de eletricidade;

      Conservação - mesmo um ponto excelente que precise de grandes reformas podem prejudicar a rentabilidade futura;

      Consumidor
      -
      o melhor ponto é aquele onde o público alvo está. Por exemplo, lojas de alimentação em regiões com grande número de escritórios; lavanderias em bairros de classe média onde o casal trabalha fora; confecções de marca de prestígio em áreas nobres, shoppings ou bairros conhecidos por sua butiques.

      Transformações - uma loja bem localizada, na maioria dos casos, é aquela que não tem concorrente direto nas proximidades e para a qual existe uma clientela em potencial. Estar localizado próximo a lojas que não atendem completamente à clientela em potencial também pode ser uma boa opção, pois pode haver uma lacuna que a sua loja poderá preencher, completando o mix de produtos e serviços, ou seja, o conjunto de ofertas necessárias à clientela local.

    IMPORTANTE:
    Considerar, se for o caso, o custo do aluguel do imóvel. Antes de fechar questão avalie as condições do mesmo, bem como da região, importante verificar se ela é sujeita a enchentes e trânsito insuportável, o que pode configurar um custo indireto para a empresa.

    Não inicie empreendimento dependendo de Capital de Terceiros. O Capital de Giro inicial (disponibilidade Imediata) deverá ser suficiente para bancar todas as despesas da empresa, pelo tempo necessário ao efetivo funcionamento do negócio.



CONCORRÊNCIA

    Ao escolher um "Ramo de Negócio" para atuar, o futuro empresário deve considerar algumas questões básicas:

    Quem são meus concorrentes?
    Quem são meus fornecedores?
    Qual meu preço de venda?
    Quem são meus clientes?
    Qual o volume mínimo de compra de matéria-prima?
    Qual o preço de venda de meus concorrentes?

    Observe seu mercado concorrente através das mercadorias ou serviços que ele oferece: qualidade, preço, acabamento, qualidade no atendimento, facilidades de acesso, forma de arrumação de produtos nas prateleiras, técnicas de vitrinismo, diferenciais, etc.

    Experimente as mercadorias e serviços de seus concorrentes e analise os pontos fortes e fracos, veja o que pode ser melhorado ou inovado. Identifique se existe ainda uma fatia do mercado que não foi atendida ou que possa ser melhor atendida por você.

    Observe também quantos já estão oferecendo os mesmos serviços ou mercadorias. Estude os espaços onde você pretende atuar. Liste quantos são e de que porte. Liste a partir de agora seus diferenciais em relação à concorrência.

    Por ser uma economia em fase de desenvolvimento, a economia brasileira ainda oferece inúmeras oportunidades aos empresários atentos e sensatos.




S/C, LTDA OU S.A. - FORMAS JURÍDICAS 1

    Firma Individual

    Constituída por uma única pessoa que dará seu nome à firma por todos os atos da empresa.

    Este tipo de empresa se aplica a atividades de indústria e/ou comércio. Não é possível abrir firma individual, cujo objetivo seja prestação de serviços, os que pretenderem, deverão faze-lo como autônomos.

    Na firma individual, o ativo (Bens e Direitos) e o passivo (Obrigações e Patrimônio), podem ser transferidos à outra empresa; porém a empresa em si, por ser firma individual, é intransferível, ou seja, não se transfere a Razão Social.

    -
    Vantagens/Desvantagens

      Custos iniciais para abertura são relativamente pequenos;
      O empresário possui total autonomia administrativa;
      A empresa usufrui de vantagens fiscais; Facilidade para dissolução da empresa; Participação integral nos lucros;
      Pode se enquadrar no SIMPLES.
      As obrigações são eliminadas;
      Existência de restrições por parte dos fornecedores, para a concessão de prazo para faturamento, e das Instituições Financeiras para obtenção de recursos;
      Os clientes com maior poder de compra não depositam na capacidade da firma individual, para aquisições dos produtos ou serviços;
      Possibilidade de divergências.

    Sociedade Comercial por Quotas de Responsabilidade (LTDA)

    Com essa forma jurídica, a empresa deverá ser constituída por no mínimo dois sócios, e, dependendo de sua atividade poderá ser uma Sociedade Civil (S/C), ou Sociedade Comercial.

    A sociedade civil dedica-se exclusivamente à prestação de serviços, e, tem seus documentos registrados no cartório de Títulos e Documentos.

    As sociedades Civis são reguladas pelo código civil, e não estão sujeitas a falência. A Sociedade Comercial pratica a venda mercantil compra e venda enfim o Comércio.

    As quotas representam a participação de cada sócio no capital social da empresa.
    Vantagens

    -
    Desvantagens

      Custos iniciais relativamente baixos; Possibilidade de continuidade da empresa; Possibilidade de ampliação do capital social com a inclusão de novos sócios; Maior facilidade de concorrer em licitação de órgãos públicos; Diluição da responsabilidade dos negócios entre os sócios.
      Divisão de poder decisório; Dificuldade em encontrar sócios; Sócios com perfil de atuação semelhante.
      A sociedade possuirá uma regulamentação própria, que foge ao escopo deste trabalho.

    IMPORTANTE:
    Representação - Hoje em dia saber articular esforços é fundamental. Nessa medida é muito importante identificar Associações / Sindicatos que o represente. Normalmente estas entidades dispõem de áreas voltadas ao atendimento de Micro e Pequenas Empresas. Além disso, participar de reuniões com empresários do seu setor, no mínimo irá melhorar sua condição de análise de seu mercado de atuação.


O QUE É NECESSÁRIO PARA ABRIR SEU NEGÓCIO

    Firma Individual

    1º Passo:
    Junta Comercial
    Busca (nome);
    Formulário de Firma Individual (4 vias);
    Requerimento Padrão da Junta (capa);
    Declaração de Microempresa (3 vias);
    CGC - Ficha de Inscrição Modelo 1 (3 vias);
    CIC e RG do titular, xerox autenticada (2 cópias);
    Taxas (pagas no Banco) - DARF e GARE;
    Comprovante de endereço (IPTU da sede da Empresa) - frente e verso;

    2º Passo:
    Secretaria da Fazenda
    CIC e RG do titular, xerox autenticada;
    Toda documentação registrada na Junta Comercial;
    Declaração Cadastral "DECA" (4 vias);
    Livro Modelo 1 (Indústria) e 1A(Comércio);
    Xerox autenticada do IPTU (Ano Base) da sede da Empresa (frente e verso);
    Xerox autenticada do Contrato de Locação para fins comerciais, registrado em cartório; ou comprovante de propriedade do Imóvel;
    Comprovante original de residência do titular da empresa;
    Taxa (paga no Banco)

    3º Passo:

    Prefeitura
    GDC (CCM) - Guia de Inscrição (2 vias);
    Toda a documentação registrada na Junta Comercial;
    CIC e RG do titular, xerox autenticada;
    Xerox autenticada do IPTU (Ano Base) da sede da empresa (frente e verso);
    Caso a empresa também preste serviços;
    Livros Mod. 51 e 57 e Declaração de Microempresa.

    IMPORTANTE:
    No caso de Empresas em funcionamento na própria residência, observar: Funcionamento em local independente da área residencial (edícula, garagem, etc.); Apresentação na Prefeitura da declaração de que não existe comunicação física entre a residência e a empresa; Croqui ou planta demonstrando as áreas da residência / sede da empresa.

    Sociedade Ltda. Mercantil e Mercantil com Prestação de Serviços

    1º Passo:
    Junta Comercial
    Busca (nome); Contrato Social;
    Requerimento Padrão da Junta (capa);
    Declaração de Microempresa (3vias), se ME;
    FNC: Folhas 1 e 2 (2 vias de cada);
    CGC - Ficha de Inscrição Modelo 1 (3vias);
    CIC e RG do titular, xerox autenticada;
    Taxas (pagas no Banco) - TCEC e GARE;
    Comprovante de Endereço.

    2º Passo:
    Secretaria da Fazenda
    CIC e RG do titular, xerox autenticada;
    Toda documentação registrada na Junta Comercial;
    Declaração Cadastral "DECA" (4 vias);
    Xerox autenticada do IPTU (Ano Base) da sede da Empresa (frente e verso);
    Xerox autenticada do Contrato de Locação da sede da empresa para fins comerciais, registrado em cartório;
    Comprovante original de residência de todos os sócios da Empresa;
    Livro Modelo 1 (Indústria) e 1A (Comércio); Taxa (paga no Banco).

    3º Passo:
    Prefeitura
    GDC (CCM) - Guia de Inscrição;
    Toda documentação registrada na Junta Comercial;
    CIC e RG do titular e sócios, xerox autenticada;
    Xerox autenticada do IPTU (Ano Base) da sede da empresa (frente e verso);
    Caso a empresa também preste serviços:
    Livros Mod. 51 e 57; (Rua Senador Queiroz, 295)
    Declaração de Microempresa.

    S/C Ltda. Prestadora de Serviço

    1º Passo:
    Cartório de Registro Civil de Pessoa Jurídica
    Busca (nome);
    Contrato Social (com firma reconhecida - 3 vias) ou 4 vias caso seja registrada em órgão de classe;
    Requerimento Padrão da Junta (capa);
    Declaração do Cartório de Microempresa - RTD (adquirida no cartório 2 vias);
    CIC e RG dos sócios, xerox autenticada;
    Taxa cobrada pelo cartório com o capital social.

    2º Passo:
    Receita Federal
    Contrato Social registrado;
    CIC, da pessoa que assina o CGC ( xerox autenticada);
    CGC: Ficha de Inscrição Modelo 1 (3 vias).

    3º Passo:
    Prefeitura
    GDC (CCM) - Guia de Inscrição;
    Contrato Social registrado;
    CIC e RG do titular, xerox autenticada;
    Xerox autenticada do IPTU (Ano Base) da sede da Empresa ( frente e verso);
    Livros Mod 51 e 57.




SIMPLES - BENEFÍCIOS E ISENÇÕES

    Obrigações nas quais a micro/pequena indústria tem tratamento beneficiado.

    Nível Federal; (Lei 9317 de 05.12.1996 - SIMPLES):
    PIS - Programa de Integração Social;
    IPI - Imposto Sobre Produtos Industrializados;
    Imposto de Renda Pessoa Jurídica ( somente da empresa);
    Imposto sobre Operações de Crédito, Câmbio e Seguro (IOF);
    Imposto sobre Serviços de Transportes e Comunicações;
    Imposto sobre Extração, Distribuição ou Consumo de Minerais do país;
    Contribuição social sobre Lucro Líquido, Confins, Contribuição Previdenciária.

    Nível Estadual:
    Em tramitação na Assembléia Legislativa, projeto do SIMPLES Estadual prevendo isenção do ICMS.

    Nível Municipal:
    Esta em vigor o SIMPLES Paulista válido para Município de São Paulo prevendo isenção de ISS.

  • Saiba mais sobre o Sistema Integrado de Impostos e Contribuições
    Em 05.12.96 foi instituído o Novo Regime de Tributação das Micro e Pequenas Empresas através da Lei 9.317.

    Pela Lei é considerada Microempresa, a pessoa jurídica que teve no ano anterior uma receita bruta igual ou inferior a R$ 120.000,00.

    É considerada Empresa de pequeno porte aquela cujo faturamento anual é superior a R$120.000,00 e até R$ 1.200.000,00.
    O SIMPLES unifica os seguintes impostos e contribuições:

    Imposto de Renda Pessoa Jurídica (IRPJ)
    Programa de Integração Social (PIS)
    Contribuição para Financiamento da Seguridade Social - (COFINS)
    Contribuição Social sobre o Lucro Líquido (CSSL)
    Contribuições para a Seguridade Social Patronal (INSS sobre Salários, pró-labores e autônomos)
    Imposto sobre Produtos Industrializados (IPI)
    ICMS - Imposto sobre a Comercialização de Produtos e Serviços.
    ISS - Imposto sobre Serviços.

    No que diz respeito às exigências, além de manter em local público placa indicativa esclarecendo tratar-se de empresa optante do SIMPLES, as empresas deverão também manter a escrituração do livro caixa e manter os documentos comprovatórios arquivados, e em conseqüência ter um contador cuidando da guarda dos livros.


PROBLEMAS E SOLUÇÕES DA ADMINISTRAÇÃO DA PEQUENA EMPRESA

    1) PROBLEMA: Falta de Planejamento
    SOLUÇÃO: Faça um cronograma detalhado estabelecendo o tamanho do empreendimento, o capital inicial, o público-alvo, a mão de obra empregada e a legislação sobre o assunto. Considere os imprevistos, reservando parte da receita as prioridades do negócio.


    2) PROBLEMA: Forte Concorrência
    SOLUÇÃO:Usar a criatividade para agregar serviços a um negócio é um bom diferencial frente à concorrência. Para isso o melhor é estar a frente às necessidades do cliente.


    3) PROBLEMA: Falta de Crédito
    SOLUÇÃO: Planeje os investimentos tendo como base seus respectivos gastos e prazos de retorno. Não recorra a empréstimos sem antes ter certeza de que seus lucros poderão sana-los no período programado.


    4) PROBLEMA: Falta de experiência na gestão
    SOLUÇÃO:Procure conhecer bem o ramo antes de abrir o negócio. Se necessário, busque apoio de entidades especializadas em consultorias no setor. Cursos e entrevistas com quem já está atuando no mercado também podem ajudar na elaboração do projeto.


    5) PROBLEMA:
    Clientes inadimplentes
    SOLUÇÃO:Cheque as centrais de cadastro de inadimplentes para escapar dos maus pagadores. Se precisar investir, não assuma dívidas contando com o dinheiro que ainda espera receber de antigas vendas


    6) PROBLEMA:
    Pesada carga tributária
    SOLUÇÃO: Atualmente, o SIMPLES (imposto único exclusivo das micro e pequenas empresas) é o maior avanço na desburocratização dos encargos tributários. Não atrase pagamentos. Em caso de dúvidas, recorra a um contador.


DICAS IMPORTANTES

    O que é preciso para se abrir uma empresa sem muitos gastos?

    O empresário poderia realizar o processo de abertura por conta própria, mas como tempo é dinheiro, o auxílio de um profissional agilizaria o processo.

    Se uma pessoa quer abrir seu próprio negócio em sua casa, para não ter gastos como o aluguel, o que é necessário?

    Conforme disposições legais vigentes, nenhum imóvel poderá ser utilizado ou ocupado para instalação e funcionamento de atividades mercantis, industriais ou de prestação de serviços, sem prévia licença de funcionamento fornecido pela prefeitura, portanto o empresário deverá buscar esclarecimentos sobre a legislação pertinente junto à Administração Regional do Bairro.

    Qual e como deve ser o estudo para se montar seu estabelecimento?

  • O primeiro aspecto que deve ser levado em consideração pelo empresário é sua aptidão pessoal, ou seja:

      eu conheço o negócio?

      gosto desta atividade?

      O segundo aspecto é em relação à viabilidade econômica:

      tenho recursos suficientes para abrir este negócio?

      sei o quanto preciso investir?

      O terceiro aspecto se refere à análise econômica:

      como anda a concorrência?

      o mercado ainda comporta o meu negócio?

      quem são os líderes do mercado?

      conseguirei ter retorno esperado?

      em relação ao capital, como deve ser calculado o investimento?

    Além dos investimentos na montagem do empreendimento, aquisição de equipamentos, legalização, o empresário tem que ter em mente que o retorno do seu negócio não acontecerá antes de 1 a 2 anos, portanto, deverá criar uma poupança pessoal para se preservar neste período. É importante ao interessado se conscientizar de que a vida financeira da empresa é distinta da sua vida financeira pessoal.

  • Qual o segredo para seu comércio prosperar? Valem algumas dicas:

      1- Ser persistente;

      2- Ser criativo;

      3- Buscar constantemente alternativas para o crescimento do seu negócio;

      4- Estar ligado a tudo o que diz respeito à sua atividade;

      5- Manter contato constante com os clientes, buscando oferecer produtos que atendam às suas necessidades e anseios.

  • O que deve ser levado em conta, quanto vai se abrir um comércio?

      1- Localização;

      2- Lay Out;

      3- Perfil do Público, seus clientes;

      4- Perfil dos Fornecedores;

      5- Concorrência.

      Para elaborar um completo Plano de Negócios são necessários no mínimo 6 meses.

  • Quais as exigências básicas para estar agindo legalmente?

      1- Registro nos órgãos competentes ( Junta Comercial ou Cartório, Receita Federal para cadastro no CNPJ, Secretaria da Fazenda para Inscrição Estadual, Prefeitura Municipal para o devido Cadastro de Contribuinte Mobiliário)

      2- Solicitar Alvará de Funcionamento;

      3- Emitir Notas Fiscais na comercialização dos seus produtos;

      4- Recolher os tributos devidos;

      5- Entregar as informações sócio-econômicas exigidas (Imposto de Renda, DIPAM, etc.)


ENDEREÇOS ÚTEIS - SÃO PAULO

    Junta Comercial do Estado de São Paulo
    Rua Barra Funda, 930
    São Paulo - SP
    Fone: (11) 825-4822
    Horário de funcionamento: 9h30min às 16h30min (Segunda a Sexta)


    Secretaria da Fazenda do Estado de São Paulo
    Pinheiros
    Rua Morato Coelho, 90 - 1º e 2º andar
    05417-000 São Paulo - SP
    Fone: (11) 881-3772

    Lapa
    Rua Sebastião Bach, 307
    05304-020 São Paulo - SP
    Fone: (11) 831-1395

    Receita Federal
    Lapa
    Rua Schilling, 512 - V. Leopoldina
    05302-000 - São Paulo - SP
    Fone: (11) 831-7322

    Penha
    Rua Antonio de Barros, 261
    03089-000 - São Paulo - SP
    Fone: (11) 296-9988

    Centro
    Av. Prestes Maia, 733 - Térreo
    01071-900 - São Paulo - SP
    Fone: (11) 225-2393 / 225-2021

    Vila Mariana
    Rua Teixeira da Silva, 217 - Paraíso
    04002-030 - São Paulo - SP
    Fone: (11) 3253-5344


    INPI - Instituto Nacional da Propriedade Industrial
    Av. São João, 313 - 11º andar - Centro
    Fone: (11) 222-8866


    INSS - Instituto Nacional de Seguro Social Centro
    Rua 24 de Maio, 208/280 - 5º andar
    Fone: (11) 222-0982/225-1370

    Pinheiros
    Rua Martins Fontes, 180 - 1º andar
    Fone: (11) 258-4534


    CETESB - Companhia de Tecnologia de Saneamento Ambiental
    Av. Professor Frederico Hermann Júnior, 345 - Alto de Pinheiros
    Fone: (11) 3030-6000


    PROJETO NASCE - Núcleo de Apoio e Serviços para a Criação de Empresas de São Paulo
    Av. Barra Funda, 930 - São Paulo - SP


ENDEREÇOS ÚTEIS - INTERIOR

    Junta Comercial do Estado de São Paulo

    Escritorio Regional de Limeira (como unidade descentralizada, atende as seguintes regiões do Estado: Americana; Araras; Rio Claro; Piracicaba; Leme; Pirassununga; São carlos; Araraquara; Catanduva; São Jose do Rio Preto; Fernandopolis; Jales. (Portaria - JUCESP/nº 065/98 publicada no Diário Oficial de 14/08/98)

    Avenida Antonio Ometto, 532
    13480-470 Limeira S/P
    Fone/Fax: (19) 441-7789
    e-mail: jucesp@widesoft.com.br
    site: www.jucesplimeira.org.br


Fonte: SEBRAE/SP e FIESP



© 1996/2014 - Hífen Comunicação Ltda.
Todos os Direitos Reservados.