Home











...



« Memória Empresarial • ANO XXVIII - Ed. 564 (26/01/2003)

Pequena Grande Empresa

Ter uma visão industrial no estágio em que se encontra a economia atualmente consiste em uma exigência obrigatória na hora de focar e de posicionar qualquer negócio no mercado. A velocidade vertiginosa da evolução do mundo empresarial está atenuando cada vez mais a divisão entre empresas de pequeno e grande portes, com grande ênfase no processo de terceirização. Como tamanho já deixou de ser documento na obtenção de resultados, uma estrutura enxuta, que privilegia a agilidade e o custo competitivo, foi a fórmula administrativa encontrada por Ricardo Araujo, diretor da VIP Indústria e Serviços de Precisão - e-mail: [email protected] - Tel.: (11) 6631-0544. Em depoimento exclusivo, ele fala sobre a sofisticação tecnológica no segmento metalúrgico, sobre os diferenciais da sua empresa e também da necessidade de manter a agilidade na excelência operacional, sem cair na tentação de mecanismos de controle que podem engessar e burocratizar uma organização.

FOCO
"O começo da década de 90 foi realmente ruim, muitas empresas reduziram, enxugaram, mudaram de foco e terceirizaram muitas atividades. A terceirização é um conceito que veio para ficar, em razão até do custo das leis trabalhistas que temos no Brasil. Para reaquecer a economia, é necessário ter um tempo grande para atender o mercado, o que levou as empresas a terceirizar vários produtos e serviços no ramo metalúrgico. Foi aí que nós entramos, com a prestação de serviços de usinagem para as empresas metalúrgicas que, de alguma forma, terceirizam parte da sua produção. Nesse segmento, poderíamos prestar serviços para as indústrias de válvulas, para a indústria automotiva, para a indústria da linha branca, mas decidimos focar no segmento de válvulas industriais, uma vez que conhecemos bem como funciona esse ramo. O que me estimulou foi essa retaguarda e essa oportunidade."

DIFERENCIAL
"O diferencial que buscamos na VIP é ter a qualidade dimensional das peças, do processo produtivo, ou seja, peças dentro das dimensões para o cliente não ter retrabalho. É comum nesse mercado ter um lote grande de peças chamadas de refugo. O que procuramos é exatamente reduzir esse desperdício com o que denominamos de serviço de precisão. Para isso, temos equipamentos de automação sofisticados que nos permitem trabalhar com essas tolerâncias apertadas. Nosso posicionamento como empresa pode ser traduzido em qualidade e baixo custo. Investimos na qualidade, principalmente por meio das pessoas com as quais trabalhamos e que são profissionais realmente diferenciados. São operadores de máquinas, mas operadores diferentes, com preparo e sofisticação tecnológica. Hoje, o terceirizado tem que ter muita responsabilidade, pois ele é co-responsável pelo produto final. Se ocorrer algum tipo de dano em razão do nosso serviço, além da punição mercadológica, podemos ser responsabilizados judicialmente."

AGILIDADE
"Somos uma pequena empresa com pouquíssimo tempo de vida, que é administrada como se fosse uma grande empresa. Por isso, procuramos trabalhar com conceitos como previsão trimestral, metas, e participação nos resultados. Somos uma pequena empresa metalúrgica, mas, quem for visitar a VIP vai achar que está entrando numa cozinha, pela limpeza do chão da fábrica e das pessoas, sem aquela idéia antiga de graxa e de funcionários sujos. Isso tudo é apresentado e repassado à equipe toda sempre que o feeling do olhar mostrar o que precisa ser corrigido. Queremos que os nossos clientes nos vejam como um departamento da empresa deles, ou seja, a menina dos olhos em quem eles podem confiar plenamente. Pretendemos conquistar a certificação ISO, mas não queremos tornar-nos uma empresa burocrática. Sem o devido cuidado, a ISO deixa uma empresa engessada por causa da quantidade e do controle da documentação. Ter ISO por ISO não é interessante, mas sim para evoluir em termos de qualidade. Se for só para gerenciar documentos, ficar com pilhas de papel e ter uma pessoa para controlar tudo isso, perdemos a agilidade da pequena empresa que temos hoje e pretendemos manter sempre, independentemente do tamanho que a empresa vier a ter."


« Entrevista Anterior      Próxima Entrevista »
...
Realização:
IMEMO

MANTENEDORES:

CRA-SP

Orcose Contabilidade e Assessoria

Sianet

Candinho Assessoria Contabil

CNS

Hífen Comunicação


Pró-Memória Empresarial© e o Programa de Capacitação, Estratégia e Motivação Empreendedora Sala do Empresário® é uma realização do Instituto da Memória Empresarial (IMEMO) e publicado pela Hífen Comunicação em mais de 08 jornais. Conheça a história do projeto.

Diretor: Dorival Jesus Augusto

Conselho Assessor: Alberto Borges Matias (USP), Alencar Burti, Aparecida Terezinha Falcão, Carlos Sérgio Serra, Dante Matarazzo, Elvio Aliprandi, Irani Cavagnoli, Irineu Thomé, José Serafim Abrantes, Marcos Cobra, Nelson Pinheiro da Cruz, Roberto Faldini e Yvonne Capuano.

Contato: Tel. +55 11 9 9998-2155 – [email protected]

REDAÇÃO
Jornalista Responsável: Maria Alice Carnevalli - MTb. 25.085 • Repórter: Fernando Bóris;
Revisão: Angelo Sarubbi Neto • Ilustrador: Eduardo Baptistão

PROIBIDA A REPRODUÇÃO TOTAL OU PARCIAL DESTAS ENTREVISTAS sem permissão escrita e, quando permitida, desde que citada a fonte. Vedada a memorização e/ou recuperação total ou parcial, bem como a inclusão de qualquer parte da obra em qualquer sistema de processamento de dados. A violação dos Direitos Autorais é punível como crime. Lei nº 6.895 de 17.12.1980 (Cód. Penal) Art. 184 e parágrafos 185 e 186; Lei nº 5.998 de 14.12.1973


Hífen Comunicação
© 1996/2016 - Hífen Comunicação Ltda. - Todos os Direitos Reservados
A marca Sala do Empresário - Programa de Capacitação, Negócios e Estratégia Empresarial
e o direito autoral Pró-Memória Empresarial, são de titularidade de
Hífen Comunicação Editorial e Eventos Ltda.