Home











...



« Memória Empresarial • ANO XXVIII - Ed. 731 (09/04/2006)

A Chave do Sucesso

Um balcão de apenas um metro quadrado que funcionava dentro de uma oficina mecânica fez com que o engenheiro Guido Luperi Junior deixasse a profissão de lado para ajudar o pai na prestação de serviços como chaveiro ainda na década de 60. De lá para cá, atuando sozinho como empreendedor e agora com a participação dos dois filhos no comando, a Mestre Guido tornou-se referência no mercado nacional na sua especialidade, além de oferecer eletricista e encanador 24 horas, uma inovação introduzida pela empresa. Com oficina própria e especializada na revenda de fechaduras e cadeados dos mais diversos portes, incluindo atuação em nível nacional, o empresário Guido - e-mail:[email protected] - Tel.: (11) 3815-1313 - fala da sua realização pessoal e profissional em depoimento exclusivo, destacando os momentos que marcaram a sua trajetória de sucesso na livre iniciativa, além de revelar as estratégias que transformaram um pequeno negócio em um modelo a ser admirado entre tantos outros que tentaram no decorrer dessas últimas décadas, mas não conseguiram imprimir sua marca tão fortemente na cabeça dos consumidores.

CRESCIMENTO
"No começo era apenas um pequeno espaço. Em razão da qualidade e da dedicação de trabalho, e da sorte, porque em todo negócio precisamos ter um pouco de sorte, fui formando uma clientela e contratei uma pessoa para me ajudar, depois duas, três, e isso foi expandido-se. Tivemos que sair do metro quadrado, pois já não cabíamos mais ali. Foi quando alugamos uma parte de uma loja junto com um colega que também tinha uma oficina com outra atividade, e isso foi promovendo o crescimento. Criamos também o chaveiro 24 horas. Começamos trabalhando até as 10 horas da noite, depois até a meia-noite, aí surgiram os pedidos de madrugada e passamos a fazer esse atendimento. Durante cerca de 10 anos, trabalhamos exclusivamente com chaves, depois começamos a agregar outros serviços que necessitam de profissional de confiança, como encanador e eletricista. Nessa época, eu fui chamado para fazer um trabalho para o Banco Bamerindus do Brasil que alavancou a empresa e mudou o nome dela de Chaveiro Iguatemi para Mestre Guido."

CAUTELA COM OUSADIA
"Toda a vida, eu caminhei passo a passo, nunca fui de meter os pés pelas mãos, sempre fui bem cauteloso, atrevido comercialmente, mas sempre com um pé no chão. Eu não compro mais do que vendo e, financeiramente, evito correr certos riscos. Ficamos com obras na loja durante um ano com capital próprio e agora estamos recuperando a clientela que se afastou por meio de marketing, que inclui visitas e ligações telefônicas para os clientes, envio de e-mails, além de matérias na mídia que nos ajudam bastante via assessoria de imprensa. Meus filhos estão assumindo a diretoria por opção deles. Tudo aquilo que está no meu limite de gerente comercial eu faço, mas o que não cabe mais a mim tomar a frente e resolver eu levo para eles. Dou a minha opinião e deixo-os decidirem o que fazer. Muitas vezes, o meu voto é de minerva, mas eu faço questão da opinião e da autoridade deles no comando da empresa."

INOVAÇÃO
"Inovar é criar técnicas, misturar conhecimentos de diversas fontes e separar isso de maneira que se possa tirar o melhor de cada uma dessas fontes e transformar tudo isso em algo único. Significa levar para o mercado opção de produtos e de serviços que ainda não existe, por exemplo, uma única chave que abre a porta da casa e do trabalho é você mostrar ao cliente que a empresa tem algo a mais para oferecer. Atendemos o Brasil inteiro e outros países também. Temos clientes sul-americanos que nos procuram porque estão fazendo algum tipo de empreendimento e fornecemos o material, que já foi até para o México. Eu diria que, para começar hoje nesse negócio, o mercado é bom, mas não se deve pensar em ser mais um. Não só na minha atividade, mas em qualquer outra, o empreendedor deve almejar ser o melhor. Quem não conseguir ser o melhor vai ser o terceiro, o quarto, o quinto, o que é muito bom, mas é preciso tentar ser o melhor e perseguir a meta de se aprimorar constantemente. Para isso, é fundamental estudar muito o produto com o qual se pretende trabalhar e perseverar sempre."


« Entrevista Anterior      Próxima Entrevista »
...
Realização:
IMEMO

MANTENEDORES:

Candinho Assessoria Contabil

CNS

Orcose Contabilidade e Assessoria

Sianet

Hífen Comunicação


Pró-Memória Empresarial© e o Programa de Capacitação, Estratégia e Motivação Empreendedora Sala do Empresário® é uma realização do Instituto da Memória Empresarial (IMEMO) e publicado pela Hífen Comunicação em mais de 08 jornais. Conheça a história do projeto.

Diretor: Dorival Jesus Augusto

Conselho Assessor: Alberto Borges Matias (USP), Alencar Burti, Aparecida Terezinha Falcão, Carlos Sérgio Serra, Dante Matarazzo, Elvio Aliprandi, Irani Cavagnoli, Irineu Thomé, José Serafim Abrantes, Marcos Cobra, Nelson Pinheiro da Cruz, Roberto Faldini e Yvonne Capuano.

Contato: Tel. +55 11 3256-3265 – [email protected]

REDAÇÃO
Jornalista Responsável: Maria Alice Carnevalli - MTb. 25.085 • Repórter: Fernando Bóris;
Revisão: Lírio C. da Silva • Ilustrador: Eduardo Baptistão

PROIBIDA A REPRODUÇÃO TOTAL OU PARCIAL DESTAS ENTREVISTAS sem permissão escrita e, quando permitida, desde que citada a fonte. Vedada a memorização e/ou recuperação total ou parcial, bem como a inclusão de qualquer parte da obra em qualquer sistema de processamento de dados. A violação dos Direitos Autorais é punível como crime. Lei nº 6.895 de 17.12.1980 (Cód. Penal) Art. 184 e parágrafos 185 e 186; Lei nº 5.998 de 14.12.1973


Hífen Comunicação
© 1996/2016 - Hífen Comunicação Ltda. - Todos os Direitos Reservados
A marca Sala do Empresário - Programa de Capacitação, Negócios e Estratégia Empresarial
e o direito autoral Pró-Memória Empresarial, são de titularidade de
Hífen Comunicação Editorial e Eventos Ltda.