Home











...



« Memória Empresarial • ANO XXVIII - Ed. 330 (02/08/1998)

Formação Acadêmica Evita Exclusão

Eleita pelo terceiro ano consecutivo pela revista América a melhor escola de administração da América Latina, a Fundação Getúlio Vargas já pensa em novas formas de capacitar os futuros executivos e empresários do Brasil a gerenciar os desafios de um mercado cada vez mais competitivo e exigente. Consciente do seu papel de formadora da elite que comanda o desempenho econômico da maior parte das empresas do País, seja na área de finanças, marketing, seja na de recursos humanos, a Fundação visualiza um profissional apto a ser um empreendedor capaz de desenvolver o talento indispensável para viabilizar e engajar-se no seu próprio negócio ou de terceiros, interagindo com a dinâmica das mudanças estruturais da economia globalizada.
Quem fala, em depoimento exclusivo, sobre essa tendência de ensino é o Professor Doutor Marcos Henrique Nogueira Cobra, atual chefe do Departamento de Marketing da FGV e diretor da Marcos Cobra Editora e Consultoria. Sua reflexão aponta para a necessidade de romper com os padrões do modelo clássico de aprendizado, visando a introdução de uma metodologia com ênfase na aprendizagem do saber fazer e não mais do saber ouvir.

INTERATIVIDADE
"A evolução normal do ensino de administração hoje é fazer o aluno colocar em prática toda aquela concepção teórica que recebeu como bagagem ao longo dos quatro anos de graduação. Essa é uma luta grande, pois, no futuro, o ensino vai estar bem diferenciado. Com a ajuda da Internet, que permite a garimpagem de dados e conhecimentos, o jovem internauta deixa de ser um mero ouvinte para trabalhar num processo interativo contínuo em relação às tendências do mercado. Nesse sentido, a função da escola deixa de ser preceptora, que dita ao aluno o que ele precisa saber. Ele mesmo vai sentir-se pressionado a desenvolver seu talento para descobrir o que precisa aprender e como pesquisar esse cardápio educacional em outros países ou de forma virtual, pelo ensino à distância, que permite uma dinâmica muito ampla.
As mudanças no cenário econômico estão levando as organizações a repensar o seu negócio. Por isso, elas não precisam de alguém que vai apenas administrar as atividades, mas sim de um profissional que tenha visão para ampliar e, se possível, até modificar o próprio negócio."

ANIMADOR
"Prevemos que a transformação que vai ocorrer com as metodologias de ensino de administração dentro dos próximos três anos será tão radical que os modelos tradicionais vão ser jogados no lixo. O ato de dar aula, por exemplo, pode ser substituído por um animador, alguém capaz de conduzir o aluno a buscar o seu autodesenvolvimento. O professor deve ser muito mais um estimulador, uma pessoa que interaja com a platéia, que faça pensar. A própria indústria do conhecimento já está na trilha de um caminho que leva ao prazer da aventura do saber.
Não se trata de buscar o conhecimento como uma ferramenta de trabalho, mas como uma capacitação de se adequar aos vários desafios. Isso é o repensar de uma nova era. Com a globalização, não dá para se acomodar, pois temos que enfrentar a invasão crescente de uma concorrência internacional. Pessoas de qualquer idade precisam estar preparadas para encarar os riscos de montar um negócio, pois muitas funções estão ou vão tornar-se obsoletas, sendo difícil prever quem vai desaparecer primeiro."

INCERTEZAS
"Não podemos mais procurar a estabilidade que existia no passado. A incerteza hoje faz parte do negócio e veio para ficar. Isso significa que, ao montar um negócio, não devemos esperar que ele seja rentável para o resto da vida, o que torna todo o processo instigante e desafiador. Para manter uma empresa saudável, é necessário buscar boas parcerias aqui ou fora do País. A perda da nacionalidade é um fato em função da dificuldade que existe em manter as estruturas organizacionais. Não dá mais para ser pequeno onde se torna necessária uma economia de escala para poder atuar. O empreendedor tem que ser um eterno visionário ousado, mas sem garantia alguma.
A vantagem competitiva que fez sucesso ontem amanhã não fará mais. Em menos de seis meses, é possível passar do sucesso ao fracasso. Assim se configura o panorama em que vai estar inserido o novo profissional de administração."


« Entrevista Anterior      Próxima Entrevista »
...
Realização:
IMEMO

MANTENEDORES:

Sianet

Candinho Assessoria Contabil

CNS

CRA-SP

Orcose Contabilidade e Assessoria

Hífen Comunicação


Pró-Memória Empresarial© e o Programa de Capacitação, Estratégia e Motivação Empreendedora Sala do Empresário® é uma realização do Instituto da Memória Empresarial (IMEMO) e publicado pela Hífen Comunicação em mais de 08 jornais. Conheça a história do projeto.

Diretor: Dorival Jesus Augusto

Conselho Assessor: Alberto Borges Matias (USP), Alencar Burti, Aparecida Terezinha Falcão, Carlos Sérgio Serra, Dante Matarazzo, Elvio Aliprandi, Irani Cavagnoli, Irineu Thomé, José Serafim Abrantes, Marcos Cobra, Nelson Pinheiro da Cruz, Roberto Faldini e Yvonne Capuano.

Contato: Tel. +55 11 9 9998-2155 – [email protected]

REDAÇÃO
Jornalista Responsável: Maria Alice Carnevalli - MTb. 25.085 • Repórter: ;
Revisão: Angelo Sarubbi Neto • Ilustrador: Eduardo Baptistão

PROIBIDA A REPRODUÇÃO TOTAL OU PARCIAL DESTAS ENTREVISTAS sem permissão escrita e, quando permitida, desde que citada a fonte. Vedada a memorização e/ou recuperação total ou parcial, bem como a inclusão de qualquer parte da obra em qualquer sistema de processamento de dados. A violação dos Direitos Autorais é punível como crime. Lei nº 6.895 de 17.12.1980 (Cód. Penal) Art. 184 e parágrafos 185 e 186; Lei nº 5.998 de 14.12.1973


Hífen Comunicação
© 1996/2016 - Hífen Comunicação Ltda. - Todos os Direitos Reservados
A marca Sala do Empresário - Programa de Capacitação, Negócios e Estratégia Empresarial
e o direito autoral Pró-Memória Empresarial, são de titularidade de
Hífen Comunicação Editorial e Eventos Ltda.