Home











...



« Memória Empresarial • ANO XXVIII - Ed. 850 (20/07/2008)

Doce união

Para ser competitivo no mercado atual, não há nada mais incentivador do que ter um talento reconhecido e valorizado em termos de oportunidade de negócio pela própria família. A associação entre o dom para a fabricação de um produto ou para a prestação de um serviço, bem como o interesse e a presença do cônjuge e dos filhos como parceiros e aliados, é uma das fórmulas mais eficazes na busca pela profissionalização de uma empresa. Foi o que aconteceu na vida de Dora Razuck, descendente de árabes, fundadora e diretora da Doçaria Adora Doceswww.adoradoces.com.br – que, desde cedo, se encantou com a arte de aprender a fazer doces artesanais por meio de cursos especializados nesse ramo da culinária. No começo, fazia para consumo próprio e para as festas das amigas, chegando até a fazer alguns dos doces do seu casamento. Com o passar do tempo, vieram três filhos homens que, depois, se formaram em engenharia e também o desemprego do marido, o que a levou a pensar como poderia colaborar do ponto de vista financeiro. A resposta foi fácil e, em poucos meses, já havia conquistado uma clientela que ia aumentando a cada dia, fazendo com que a casa ficasse pequena para tantos doces e os filhos tomassem a iniciativa de abrir uma porta para o mundo. Com exclusividade, ela revela como esse apoio foi decisivo para alavancar e expandir sua atividade empreendedora.

RETAGUARDA
"Com a colaboração administrativa do meu marido e a visão comercial dos meus filhos, que acabaram optando por se tornar empresários junto comigo, abrimos a primeira loja em junho de 1994, no bairro dos Jardins, perto da nossa casa. Quatro anos depois, surgiu a oportunidade de alugar a casa ao lado, o que representou o grande avanço da Adora Doces. Com isso, aumentamos a fabricação e passamos a fornecer para supermercados, empórios, clubes e restaurantes, sem perder a qualidade. A loja de Moema, que é mais um ponto de vendas, pois se auto-sustenta, ficou especializada em atender às noivas, com uma sala especial só para elas. Lá, a noiva escolhe os doces, as forminhas, os bem-casados, bem como todo o material para servir aos seus convidados. Por sermos uma empresa essencialmente familiar, ainda estamos enfrentando os desafios da profissionalização, mas estamos todos somando competências e conquistando um espaço para crescer e se desenvolver na Adora Doces."


MODERNIDADE
"Fazemos reuniões mensais para delimitar bem as responsabilidades de cada um na gestão do negócio. No meu caso, a participação familiar do meu marido e dos meus filhos foi fundamental para que eu me sentisse estimulada a empreender. Se não fosse assim, eu não teria nem progredido. Sou mais antiga, enquanto eles são mais modernos e souberam trazer essa modernidade para dentro do negócio em termos de atualização. A gente acaba acomodando-se e achando que do jeito que está indo está ótimo. No entanto, eles querem mais é correr em busca de novos mercados. Se eu estivesse sozinha para ver tudo isso, teria que colocar pessoas de fora, mas acredito que um negócio familiar só vai para a frente quando a família toda está trabalhando em conjunto. Nós estamos sempre presentes na loja para garantir um atendimento personalizado, pois acreditamos na importância de passar aos clientes a credibilidade de poder falar com o dono."


EXPANSÃO
"Participamos de feiras e de shoppings sazonais para a divulgação da nossa marca em eventos para públicos que nos interessam, e foi assim que nos abrimos para o mercado de festas de casamento. Cada vez mais estamos em um supermercado novo, em um empório novo, em um clube, e isso faz com que nos tornemos mais conhecidos. Decidimos também utilizar o espaço ocioso da loja para servir almoço, que é o horário de pico do movimento e também mais uma vitrine para os nossos produtos. Surgem muitas oportunidades para abrimos franquia, mas, por enquanto, não estamos interessados, porque teríamos que mudar o nosso foco artesanal, uma vez que os doces que fazemos não possuem conservantes e têm apenas três dias de validade. Com o esquema de franquia, teríamos que mudar a filosofia do negócio. Para o ano que vem, pretendemos abrir outras lojas próprias em bairros com o perfil de consumidor que costumamos atender."


« Entrevista Anterior      Próxima Entrevista »
...
Realização:
IMEMO

MANTENEDORES:

CRA-SP

Orcose Contabilidade e Assessoria

Sianet

Candinho Assessoria Contabil

CNS

Hífen Comunicação


Pró-Memória Empresarial© e o Programa de Capacitação, Estratégia e Motivação Empreendedora Sala do Empresário® é uma realização do Instituto da Memória Empresarial (IMEMO) e publicado pela Hífen Comunicação em mais de 08 jornais. Conheça a história do projeto.

Diretor: Dorival Jesus Augusto

Conselho Assessor: Alberto Borges Matias (USP), Alencar Burti, Aparecida Terezinha Falcão, Carlos Sérgio Serra, Dante Matarazzo, Elvio Aliprandi, Irani Cavagnoli, Irineu Thomé, José Serafim Abrantes, Marcos Cobra, Nelson Pinheiro da Cruz, Roberto Faldini e Yvonne Capuano.

Contato: Tel. +55 11 9 9998-2155 – [email protected]

REDAÇÃO
Jornalista Responsável: Maria Alice Carnevalli - MTb. 25.085 • Repórter: Fernando Bóris;
Revisão: Angelo Sarubbi Neto • Ilustrador: Eduardo Baptistão

PROIBIDA A REPRODUÇÃO TOTAL OU PARCIAL DESTAS ENTREVISTAS sem permissão escrita e, quando permitida, desde que citada a fonte. Vedada a memorização e/ou recuperação total ou parcial, bem como a inclusão de qualquer parte da obra em qualquer sistema de processamento de dados. A violação dos Direitos Autorais é punível como crime. Lei nº 6.895 de 17.12.1980 (Cód. Penal) Art. 184 e parágrafos 185 e 186; Lei nº 5.998 de 14.12.1973


Hífen Comunicação
© 1996/2016 - Hífen Comunicação Ltda. - Todos os Direitos Reservados
A marca Sala do Empresário - Programa de Capacitação, Negócios e Estratégia Empresarial
e o direito autoral Pró-Memória Empresarial, são de titularidade de
Hífen Comunicação Editorial e Eventos Ltda.