Home











...



« Memória Empresarial • ANO XXVIII - Ed. 894 (24/05/2009)

Sucessão por etapas

Uma das grandes preocupações dos empreendedores bem-sucedidos que começaram a partir de uma ideia e da competência para visualizar nichos de mercado inéditos está na passagem do comando das empresas que fundaram no século passado para as mãos das novas gerações que, apesar de terem todas as condições de se prepararem para assumir o posto dos pais, muitas vezes não demonstram o interesse e a disposição necessários para manter a perenidade do negócio. Para lidar com essa situação, minimizando o risco e as dificuldades dessa fase de transição, o descendente de imigrantes libaneses Flávio Farah, fundador e diretor da área administrativa da Emplarel Indústria e Comércio Ltda. há 44 anos – www.emplarel.com.br –, pioneira na fabricação de utensílios domésticos à base de fibra de vidro e de móveis para lojas de fast-food em praças de alimentação, sempre ao lado do irmão Ferdinando, optou por uma iniciativa estratégica para cativar os filhos e os sobrinhos. Abriu para eles uma empresa de comunicação visual que depois foi incorporada à organização, trazendo herdeiros já comprometidos com a cultura empresarial e capacitados para uma gestão participativa e atuante. Com exclusividade e muita energia, Farah relata sua trajetória de pioneirismo que começou na década de 60.

SINERGIA
"Somos basicamente fabricantes de plástico reforçado com resinas de poliéster e, com o decorrer do tempo, fomos ampliando para outros setores, mas continuamos com a fibra de vidro acoplando todos os produtos com sinergia. A história da Emplarel começou com um anúncio que saiu no jornal em 1963, de uma empresa chamada Moplast, procurando por um engenheiro químico para gerenciar o departamento de fibra de vidro. Na época, eu era recém-formado como técnico em química e fui a essa fábrica para apresentar-me como candidato a João Conrado Amaral Gurgel – fundador da fábrica de carros Gurgel – que passou a ser um grande amigo. Ele sentiu a minha espontaneidade quando eu disse que não entendia do assunto, mas que estava disposto a visitar os fornecedores dos insumos básicos e os laboratórios dos fabricantes, pois a fibra de vidro ainda era importada e fomos os pioneiros desse material no Brasil. Fiz uma carreira bastante boa durante dois anos e meio e passei a ser um técnico especializado no setor, trazendo o meu irmão, que veio fazer parte da equipe e aumentou muito a rede de clientes."


INOVAÇÃO
"Nós saímos da Moplast porque o Doutor Gurgel acabou vendendo a empresa em 1964 para um grupo da Bolsa de Valores do Rio de Janeiro que não estava interessado em fazer novos investimentos. Ferdinando e eu já tínhamos desenvolvido lá dentro bandejas de fibras de vidro decoradas com tecido que lançamos na UD com muito sucesso e, até hoje, temos na nossa linha, mas direcionadas às indústrias para o serviço de restaurantes self-service. Esse foi o primeiro produto da Emplarel que levamos para fabricar na garagem da casa dos nossos pais. Durante um almoço com toda a família, um dos nossos tios sentiu o cheiro forte que vinha do processo de produção e nos deu US$ 10 mil para montarmos o negócio fora dali. Daí em diante, começamos a crescer, a criar, a viajar pelo mundo e a trazer inovações para o mercado brasileiro, incluindo a representação de máquinas de empresas estrangeiras."


ENTROSAMENTO
"Um aspecto que nos preocupava bastante era a sucessão familiar, porque tínhamos um medo muito grande desse processo de transição. Por isso, decidimos montar em 1988 a Idea, chamamos os nossos filhos e perguntamos se eles gostariam de cuidar de uma empresa separada da Emplarel que iria trabalhar com comunicação visual, um dos nossos ramos de atividade, garantindo que eles poderiam usar toda a infraestrutura comercial e administrativa já montada. Fizemos tudo de propósito e os deixamos com liberdade para administrar o negócio. Alguns não quiseram ficar e partiram, mas, como a Idea começou a decolar com os que apostaram nela, passou a haver um contato maior entre as duas empresas e, com o passar do tempo, nós os convidamos a trazer a Idea para dentro da Emplarel para trabalharmos todos juntos. O principal passo, que era o entrosamento entre os sucessores, foi feito, e o próximo foi adequá-los à nossa estrutura de funcionamento."


« Entrevista Anterior      Próxima Entrevista »
...
Realização:
IMEMO

MANTENEDORES:

CRA-SP

Orcose Contabilidade e Assessoria

Sianet

Candinho Assessoria Contabil

CNS

Hífen Comunicação


Pró-Memória Empresarial© e o Programa de Capacitação, Estratégia e Motivação Empreendedora Sala do Empresário® é uma realização do Instituto da Memória Empresarial (IMEMO) e publicado pela Hífen Comunicação em mais de 08 jornais. Conheça a história do projeto.

Diretor: Dorival Jesus Augusto

Conselho Assessor: Alberto Borges Matias (USP), Alencar Burti, Aparecida Terezinha Falcão, Carlos Sérgio Serra, Dante Matarazzo, Elvio Aliprandi, Irani Cavagnoli, Irineu Thomé, José Serafim Abrantes, Marcos Cobra, Nelson Pinheiro da Cruz, Roberto Faldini e Yvonne Capuano.

Contato: Tel. +55 11 9 9998-2155 – [email protected]

REDAÇÃO
Jornalista Responsável: Maria Alice Carnevalli - MTb. 25.085 • Repórter: Fernando Bóris;
Revisão: Angelo Sarubbi Neto • Ilustrador: Eduardo Baptistão

PROIBIDA A REPRODUÇÃO TOTAL OU PARCIAL DESTAS ENTREVISTAS sem permissão escrita e, quando permitida, desde que citada a fonte. Vedada a memorização e/ou recuperação total ou parcial, bem como a inclusão de qualquer parte da obra em qualquer sistema de processamento de dados. A violação dos Direitos Autorais é punível como crime. Lei nº 6.895 de 17.12.1980 (Cód. Penal) Art. 184 e parágrafos 185 e 186; Lei nº 5.998 de 14.12.1973


Hífen Comunicação
© 1996/2016 - Hífen Comunicação Ltda. - Todos os Direitos Reservados
A marca Sala do Empresário - Programa de Capacitação, Negócios e Estratégia Empresarial
e o direito autoral Pró-Memória Empresarial, são de titularidade de
Hífen Comunicação Editorial e Eventos Ltda.