Home











...



« Memória Empresarial • ANO XXVIII - Ed. 904 (02/08/2009)

Conquistar mercado

A viabilização de empresa de qualquer porte depende da gestão eficiente e do dinamismo de um conjunto de setores e ações, com participação mais ou menos semelhante no processo operacional e destaque para o que melhor atender à sua característica principal. Mas, a natureza da sociedade é que determina o componente de maior relevância no conjunto. Em empreendimentos que trabalham com produtos especiais, o foco naturalmente é nas vendas, ao lado da opção de terceirizar áreas administrativas de pessoal, contabilidade, logística, marketing etc., para minimizar custos fixos, alcançar competitividade e conquistar mercado. Além disso, o empreendedor defronta-se com outros difíceis obstáculos, como a burocracia invencível do Poder Público, que compõe o "custo Brasil". Essa é a experiência vivida pelo italiano Alexander Bonetti, diretor da San Marco Alimentos - www.sanmarcoalimentos.com.br - com sede em Curitiba, Paraná, que comercializa alimentos em conserva, sem aditivos químicos, fornecidos pela indústria Del Santo, de Pádua, Itália. Seguindo a tradição empreendedora do pai, estabelecido no Brasil desde 1979, Bonetti desligou-se dos negócios da família na área química para montar a empresa em 2007. Às voltas com a burocracia, levou dois anos para conseguir dar inicio efetivamente às operações, relata em entrevista exclusiva.

PERSISTÊNCIA
"A maior dificuldade foi abrir a empresa propriamente; é difícil explicar, mas os documentos não saiam de jeito nenhum. Isso é muito demorado no Brasil, quer dizer, era uma demora interna. Comparecia todos os dias às repartições públicas para tentar conseguir algum progresso, pois se não se fica em cima a demora seria maior ainda. Com isso, demorei cerca de 10 meses para conseguir o CNPJ. Depois, foi quase um ano para efetuar cadastro e obter registro no Radar da Receita Federal, antes de poder iniciar a importação. Para trazer a mercadoria necessita-se mais um prazo: só em navio você perde 16 a 20 dias, além do tempo de preparar o produto. Assim, demorou a chegada da mercadoria e, em consequência, atrasaram as vendas e a concretização do negócio; meu plano era ter viabilizado a empresa em 2008, antes da crise internacional e não depois, como afinal ocorreu."


PARCERIA
"Tive conhecimento dos produtos por intermédio de um amigo italiano que viajou a Pádua, sede da indústria. Ele trouxe algumas amostras e me deu, recomendando: "Experimente, veja que produto bom e interessante". Acabei ficando com um ou dois pacotes e apreciei as conservas. O amigo não deu continuidade à iniciativa, passou-me informações e contatos e fui atrás do dono da empresa, o Gianni De Cecchi. Ele me mandou algumas amostras que distribui a amigos e familiares para saber a opinião geral; o retorno favorável foi unânime e chamou-me a atenção a qualidade do produto. Trata-se de conserva sem igual hoje no mercado. Fui à Itália conhecer a Del Santo, a fábrica, os processos e o Gianni ficou superinteressado pelo mercado brasileiro, que veio conhecer a meu convite. O industrial italiano visitou a CEAGESP e o Mercado Municipal de São Paulo, encantou-se com nossas verduras e frutas, algumas que desconhecia, e surpreendeu-se com a pujança de São Paulo e do Brasil."


FIDELIZAÇÃO
"No dia-a-dia da San Marco, recebe toda a atenção a área de vendas, que cuida de decidir onde atuar, de prospectar clientes, de determinar as regiões que mais interessam cobrir etc. Vem em seguida a preocupação com a importação, momento em que é fundamental estar atento com o câmbio -- área sensível e difícil -- porque hoje o euro, mais valorizado do que o dólar, sempre está oscilando e "pregando peças". Assim, é importante comprar na hora oportuna para não se ter depois dificuldade em repassar o preço. Para fidelizar o consumidor na disputa com a concorrência, promovemos a degustação nos principais pontos de venda, dando a possibilidade ao cliente de verificar a qualidade do alimento; e quem experimenta pela primeira vez é "fisgado", pois o produto, sem conservantes químicos, nem salmoura e de excelente sabor e qualidade, tem sido muito apreciado. Por ser especial, o preço talvez se iguale ou supere um pouco o da concorrência, mas mesmo assim o cliente sabe que está levando um alimento mais nobre, totalmente diferenciado e de alta qualidade."


« Entrevista Anterior      Próxima Entrevista »
...
Realização:
IMEMO

MANTENEDORES:

CRA-SP

Orcose Contabilidade e Assessoria

Sianet

Candinho Assessoria Contabil

CNS

Hífen Comunicação


Pró-Memória Empresarial© e o Programa de Capacitação, Estratégia e Motivação Empreendedora Sala do Empresário® é uma realização do Instituto da Memória Empresarial (IMEMO) e publicado pela Hífen Comunicação em mais de 08 jornais. Conheça a história do projeto.

Diretor: Dorival Jesus Augusto

Conselho Assessor: Alberto Borges Matias (USP), Alencar Burti, Aparecida Terezinha Falcão, Carlos Sérgio Serra, Dante Matarazzo, Elvio Aliprandi, Irani Cavagnoli, Irineu Thomé, José Serafim Abrantes, Marcos Cobra, Nelson Pinheiro da Cruz, Roberto Faldini e Yvonne Capuano.

Contato: Tel. +55 11 9 9998-2155 – [email protected]

REDAÇÃO
Jornalista Responsável: Angelo Sarubbi Neto - MTb. 8.964 • Repórter: Fernando Bóris;
Revisão: Angelo Sarubbi Neto • Ilustrador: Eduardo Baptistão

PROIBIDA A REPRODUÇÃO TOTAL OU PARCIAL DESTAS ENTREVISTAS sem permissão escrita e, quando permitida, desde que citada a fonte. Vedada a memorização e/ou recuperação total ou parcial, bem como a inclusão de qualquer parte da obra em qualquer sistema de processamento de dados. A violação dos Direitos Autorais é punível como crime. Lei nº 6.895 de 17.12.1980 (Cód. Penal) Art. 184 e parágrafos 185 e 186; Lei nº 5.998 de 14.12.1973


Hífen Comunicação
© 1996/2016 - Hífen Comunicação Ltda. - Todos os Direitos Reservados
A marca Sala do Empresário - Programa de Capacitação, Negócios e Estratégia Empresarial
e o direito autoral Pró-Memória Empresarial, são de titularidade de
Hífen Comunicação Editorial e Eventos Ltda.