Home











...



« Memória Empresarial • ANO XXVIII - Ed. 911 (11/10/2009)

Gestão madura

É consenso entre os empreendedores que a gestão constitui fator de importância capital para enfrentar os riscos do negócio e não pode prescindir de alta dose de racionalidade. A razão e o planejamento não devem ceder espaço à fantasia, sob pena de por em perigo a sobrevivência da empresa. As soluções criativas, igualmente necessárias, fazem parte do arsenal de possibilidades das ações estratégicas para enfrentar a concorrência e ganhar espaço no mercado. Portanto, empreender não resulta de mero impulso para criar uma empresa, na ânsia de independência profissional e financeira. Os alicerces de um empreendimento bem sucedido são, de um lado, no campo administrativo, rigor na definição de custos, e de outro, no nível da relação com o cliente, excelência no cumprimento de datas de entrega, no atendimento de solicitações e especificações, além de preços atraentes. São observações do empresário Wagner Aliprandi, fundador e diretor da Aço.Com Comércio de Metaiswww.acopontocom.com.br – fruto de uma carreira iniciada em empresa da família e posteriormente solidificada na condução do negócio próprio, como ele relata em entrevista exclusiva.

O DIFÍCIL RECOMEÇO
"Há exatos três anos, decidi tocar um projeto novo de que já tinha o rascunho em mente e sabia como funcionaria. A Aço.Com opera no comércio de folha de flandres, que é a chapa de aço revestida com estanho, usada em embalagem de lata em geral, especialmente para produtos alimentícios. Ela atende a um leque que a própria usina siderúrgica não consegue atingir: o pequeno e o médio consumidores de aço. Fornecemos tanto materiais de usina de primeira qualidade, como também descartes, retalhos, oriundos do mercado residual no setor siderúrgico, processados ou não por nós, e reaproveitados por um tipo de mercado que não necessita de matéria-prima de primeira qualidade, recém-saída da usina. A adaptação ao empreendimento "solo" não foi fácil, porque é natural a gente se acomodar – até mentalmente – a uma situação "estável". Precisei repensar, reeducar-me física e emocionalmente e montar também todo um projeto econômico para o recomeço profissional, isso já com 40 e poucos anos".


UM PASSO DE CADA VEZ
"Para quem inicia um negócio, as principais decisões são de fato no âmbito da comercialização. É que nessa etapa não se tem suporte para superar eventual prejuízo; depois de alguns anos você pode até entrar num negócio ruim, que normalmente conseguirá sair ileso... Muita gente se esquece de que se dá um passo por vez. A vida é risco constante. Considero muito importante caminhar passo a passo; em algum momento, diante de oportunidades maravilhosas, quem não pensou 'se fizer isso vou ganhar dinheiro, ficar milionário' e depois, à frente, veio a perceber que aquela decisão não teria sido a melhor. Para controlar a ansiedade empresarial, tive que me reeducar até quanto ao horário de trabalho, que começa às 7 da manhã e se encerra geralmente às 17 horas, quando 'desligo' o lado empresarial e volto para a parte social, familiar, tendo o cuidado de não levar problemas profissionais para casa, apreendendo, em suma, a bem dividir as coisas".


DEPENDEMOS DE NÓS
"O principal problema para nós, empresários, é a formação correta e rigorosa dos custos, em que pesam muito as taxas de impostos, especialmente no nosso caso, que atuamos no comércio de material. O que agrava demais é a diferenciação de ICMS entre Estados: é um desastre, porque muitas vezes não se tem aquele mesmo ICM da compra para a venda, e isso se converte em custo direto. Assim, a meu ver, o fator preponderante mesmo é a atividade administrativa, a gestão. Tudo gira em torno dela. Com uma gestão inteligente, madura, colaboradores eficientes e corretas informações de mercado, as boas vendas quase que acontecem automaticamente, desde que o negócio esteja também solidamente alicerçado em qualidade e preço do produto (fruto de compra acertada). Claro que há, ainda, as concorrências de todas as formas, leais e desleais, com o que você deve saber lidar. Se fosse fácil, todo o mundo seria empreendedor, não?"


« Entrevista Anterior      Próxima Entrevista »
...
Realização:
IMEMO

MANTENEDORES:

CRA-SP

Orcose Contabilidade e Assessoria

Sianet

Candinho Assessoria Contabil

CNS

Hífen Comunicação


Pró-Memória Empresarial© e o Programa de Capacitação, Estratégia e Motivação Empreendedora Sala do Empresário® é uma realização do Instituto da Memória Empresarial (IMEMO) e publicado pela Hífen Comunicação em mais de 08 jornais. Conheça a história do projeto.

Diretor: Dorival Jesus Augusto

Conselho Assessor: Alberto Borges Matias (USP), Alencar Burti, Aparecida Terezinha Falcão, Carlos Sérgio Serra, Dante Matarazzo, Elvio Aliprandi, Irani Cavagnoli, Irineu Thomé, José Serafim Abrantes, Marcos Cobra, Nelson Pinheiro da Cruz, Roberto Faldini e Yvonne Capuano.

Contato: Tel. +55 11 3256-3265 – [email protected]

REDAÇÃO
Jornalista Responsável: Angelo Sarubbi Neto - MTb. 8.964 • Repórter: Fernando Bóris;
Revisão: Lírio Carlos da Silva • Ilustrador: Eduardo Baptistão

PROIBIDA A REPRODUÇÃO TOTAL OU PARCIAL DESTAS ENTREVISTAS sem permissão escrita e, quando permitida, desde que citada a fonte. Vedada a memorização e/ou recuperação total ou parcial, bem como a inclusão de qualquer parte da obra em qualquer sistema de processamento de dados. A violação dos Direitos Autorais é punível como crime. Lei nº 6.895 de 17.12.1980 (Cód. Penal) Art. 184 e parágrafos 185 e 186; Lei nº 5.998 de 14.12.1973


Hífen Comunicação
© 1996/2016 - Hífen Comunicação Ltda. - Todos os Direitos Reservados
A marca Sala do Empresário - Programa de Capacitação, Negócios e Estratégia Empresarial
e o direito autoral Pró-Memória Empresarial, são de titularidade de
Hífen Comunicação Editorial e Eventos Ltda.