Home











...



« Memória Empresarial • ANO XXVIII - Ed. 470 (08/04/2001)

Conforto Inteligente

Vai longe o tempo em que ambiente de trabalho era sinônimo de local apertado, impessoal, sem nenhum tipo de atrativo, abafado no verão e terrivelmente frio durante o inverno. Oferecer conforto aos funcionários, ou seja, qualidade ambiental, já faz parte do conceito de qualquer negócio que pretenda ser bem sucedido hoje. Com base nessa necessidade de transformar escritórios e instalações comerciais em cenários aconchegantes, agradáveis e, acima de tudo, funcionais, surgiu a Ace Engenharia e Construções Ltda. - Tel.: (11) 3022-9682 - e-mail:. [email protected]. Em depoimento exclusivo, Marcelo Mendes Filho, diretor da empresa, revela suas táticas administrativas e conclama à flexibilidade para mudanças como a principal virtude, dentro de um esquema de gerenciamento de recursos humanos especializado na capacitação de “cérebros” e na terceirização de serviços.

DIAGNÓSTICO
"A Ace surgiu há doze anos com o objetivo de complementar a ação da construção civil, deixando o espaço adequadamente habitável para o tomador do negócio. Em cima das necessidades dele, em termos de conforto ambiental e de tecnologia, buscamos adaptar os imóveis entregues pelas construtoras. Hoje em dia, todo mundo já está pensando de forma um pouco mais abrangente, uma vez que os edifícios comerciais têm que apresentar certa flexibilidade para poder assimilar as demandas de mercado. O custo para refazer um ambiente que não se enquadra aos padrões da empresa é tão grande que a melhor estratégia consiste em primeiro procurar um local adequado, que nem sempre pode ser o mais bonito ou o mais simpático para o cliente, e fazer um diagnóstico das possibilidades. Com o processo de globalização, as empresas querem ter um bom visual e oferecer um ambiente de trabalho agradável aos seus funcionários. Atualmente, uma organização não é rica pelo que fatura, mas sim porque consegue gastar menos."

TERCEIRIZACÃO
"O ponto fundamental da nossa filosofia de trabalho está em compreender o que o cliente está esperando e superar essas expectativas. Esse tipo de serviço tem que dar um show, porque ele não se destina a um fiscal, e sim ao dono de uma empresa que precisa ter o seu escritório devidamente preparado para a mudança, com tudo funcionando a sua volta. Quando começamos o negócio, tínhamos cerca de 150 funcionários, que foram posteriormente reduzidos para 15 por imposição do mercado. Com isso, conservamos os cérebros da empresa e terceirizamos o tronco e os membros, dando a oportunidade aos funcionários de abrir o próprio negócio no seu ramo de atuação em troca da garantia da prestação desses serviços sempre que necessitarmos deles. Estabelecemos assim uma parceria de lealdade recíproca que não é determinada por contratos, mas pela experiência do dia-a-dia. Embora a terceirização traga perdas, por outro lado ela elimina riscos de quebra com folha de pagamento e encargos trabalhistas nos momentos de crise. Não podemos impedir que uma pessoa cresça, mas podemos ser suficientemente inteligentes para direcionar esse crescimento em benefício da empresa."

ABERTURA
"Nos próximos cinco anos, teremos mudanças fabulosas, muito mais rápidas do que as que ocorreram na última década. Diante desse cenário, o empresário moderno tem a obrigação de estar aberto a todas as tendências e saber mudar rapidamente para aceitar o que o mercado quiser. Antes, o foco no cliente era o maior sustentáculo do sucesso, mas hoje é o cliente inserido em um mercado competitivo, no qual a importância da marca é algo que praticamente acabou. A qualidade do ser humano com quem se trabalha tem que ser a melhor possível, por isso investimos nas nossas cabeças com formação universitária e treinamento. Não há um funcionário nosso cujos filhos não estejam na escola, que não tenha assistência médica garantida, ou seja, nada que possa tirar a concentração dele no trabalho. Nós crescemos com um olho no caixa e outro no futuro, mas sem planejamentos a médio e longo prazos. Nossa noção de lucro é mais conseqüência do que propriamente um objetivo. O ideal, que estamos atingindo hoje, é ter o cérebro muito bem formatado, um caixa físico pequeno e uma estrutura enxuta com um grande número de parceiros mantendo uma relação de responsabilidade social séria e honesta."


« Entrevista Anterior      Próxima Entrevista »
...
Realização:
IMEMO

MANTENEDORES:

Sianet

Candinho Assessoria Contabil

CNS

CRA-SP

Orcose Contabilidade e Assessoria

Hífen Comunicação


Pró-Memória Empresarial© e o Programa de Capacitação, Estratégia e Motivação Empreendedora Sala do Empresário® é uma realização do Instituto da Memória Empresarial (IMEMO) e publicado pela Hífen Comunicação em mais de 08 jornais. Conheça a história do projeto.

Diretor: Dorival Jesus Augusto

Conselho Assessor: Alberto Borges Matias (USP), Alencar Burti, Aparecida Terezinha Falcão, Carlos Sérgio Serra, Dante Matarazzo, Elvio Aliprandi, Irani Cavagnoli, Irineu Thomé, José Serafim Abrantes, Marcos Cobra, Nelson Pinheiro da Cruz, Roberto Faldini e Yvonne Capuano.

Contato: Tel. +55 11 9 9998-2155 – [email protected]

REDAÇÃO
Jornalista Responsável: Maria Alice Carnevalli - MTb. 25.085 • Repórter: Fernando Bóris;
Revisão: Angelo Sarubbi Neto • Ilustrador: Eduardo Baptistão

PROIBIDA A REPRODUÇÃO TOTAL OU PARCIAL DESTAS ENTREVISTAS sem permissão escrita e, quando permitida, desde que citada a fonte. Vedada a memorização e/ou recuperação total ou parcial, bem como a inclusão de qualquer parte da obra em qualquer sistema de processamento de dados. A violação dos Direitos Autorais é punível como crime. Lei nº 6.895 de 17.12.1980 (Cód. Penal) Art. 184 e parágrafos 185 e 186; Lei nº 5.998 de 14.12.1973


Hífen Comunicação
© 1996/2016 - Hífen Comunicação Ltda. - Todos os Direitos Reservados
A marca Sala do Empresário - Programa de Capacitação, Negócios e Estratégia Empresarial
e o direito autoral Pró-Memória Empresarial, são de titularidade de
Hífen Comunicação Editorial e Eventos Ltda.