Home











...



« Memória Empresarial • ANO XXVIII - Ed. 492 (09/09/2001)

Generalista na Medida Certa

Com a sociedade vivendo um processo de desregulamentação, as empresas seguem o mesmo rumo, em busca de maior liberdade de ação. Sem as intervenções e os bloqueios do governo, cada vez mais o profissionalismo e a competência na gestão de um negócio constituem os fatores determinantes, seja no caso de sucesso, seja na exclusão. Quem destaca a necessidade da formação de administradores qualificados que tenham a capacidade de desenvolver uma visão geral de todos os aspectos que envolvem as pequenas e médias empresas é Roberto Carvalho Cardoso, presidente do Conselho Regional de Administração de São Paulo - www.crasp.gov.br. Em depoimento exclusivo, ele se refere a essas organizações como sendo a grande fonte geradora de empregos e de oportunidades de negócio e fala também das mudanças estruturais do mercado, que exigem novas posturas administrativas tanto por parte dos empreendedores quanto dos executivos.

DIVERSIDADE
"Há quem diga que o povo brasileiro é um dos mais empreendedores, e isso se deve, em parte, ao Fundo de Garantia pelo fato de o trabalhador ter um valor disponível, uma quantia como recurso e possibilidade para partir para um negócio próprio. Na condição de administrador dentro da empresa, o empresário precisa, acima de tudo, adotar uma postura ética. Isso significa ser apolítico, ter a mente aberta e não deixar envolver-se. Ele pode ter as suas tendências ideológicas, partidárias e religiosas, mas tem que agir como se isso tudo não existisse. Especialmente hoje, é necessário aceitar e praticar a diversidade não apenas com as minorias, mas de maneira geral. As faculdades deveriam se preocupar também em estimular o espírito empreendedor e não apenas em formar alunos para serem empregados. Outra crítica com relação aos cursos de administração é que eles não formam profissionais para atuar nas pequenas e médias empresas, que constituem o grande nicho do mercado, já que as grandes organizações representam somente a ponta do iceberg."

TESTE
"Para ser dono do próprio negócio, é fundamental, em primeiro lugar, não ter medo de assumir riscos. É preciso tomar decisões com velocidade, bom senso e ponderação, mas não se pode ter medo de errar. O segundo aspecto importante é esquecer o horário, pois o ideal é que o empresário seja o primeiro a entrar e o último a sair da empresa. Com relação à parte financeira, ele tem que pensar que antes estão os funcionários e os fornecedores. Normalmente, acontece o contrário, uma vez que as pessoas acham que ser dono é pegar o talão de cheques e assinar, como se a empresa fosse uma fonte inesgotável de recursos. É preciso pensar no desenvolvimento tecnológico com profissionalismo, uma vez que não dá mais para improvisar atualmente. Outro aspecto básico seria agir com cautela e com os pés no chão para não contrair dívidas em bancos e nem sempre acreditar naquilo que o governo recomenda. Tem que duvidar um pouco, questionar tudo e aceitar que os pontos altos e baixos fazem parte da história de qualquer empresa."

VIDA OU MORTE
"Na maioria dos casos, as empresas começam aos poucos para dominar o conhecimento. Enquanto se é pequeno, dá para controlar todos os setores, mas, à medida que o negócio cresce e vai distanciando-se da atividade-fim, ele passa a requerer nova estrutura. O índice de mortalidade das pequenas empresas ainda é muito alto porque os seus dirigentes não se preparam para a etapa seguinte, que é a adequação ao crescimento. Boa parte das organizações bem-sucedidas são aquelas que passaram por estágios de transformação de forma consciente. É uma questão de vida ou morte estar aberto para vislumbrar essas mudanças, e são as situações de crise que trazem as grandes oportunidades de inovação. Uma das saídas é encontrar o executivo certo para o lugar certo, ou seja, um administrador bem preparado, pois não dá mais para se aventurar no mercado. Como a fase da qualidade já passou, sem deixar de ser importante, é preciso agora partir para uma profissionalização completa e até mesmo as pequenas empresas já estão conscientizando-se disso."


« Entrevista Anterior      Próxima Entrevista »
...
Realização:
IMEMO

MANTENEDORES:

Sianet

Candinho Assessoria Contabil

CNS

CRA-SP

Orcose Contabilidade e Assessoria

Hífen Comunicação


Pró-Memória Empresarial© e o Programa de Capacitação, Estratégia e Motivação Empreendedora Sala do Empresário® é uma realização do Instituto da Memória Empresarial (IMEMO) e publicado pela Hífen Comunicação em mais de 08 jornais. Conheça a história do projeto.

Diretor: Dorival Jesus Augusto

Conselho Assessor: Alberto Borges Matias (USP), Alencar Burti, Aparecida Terezinha Falcão, Carlos Sérgio Serra, Dante Matarazzo, Elvio Aliprandi, Irani Cavagnoli, Irineu Thomé, José Serafim Abrantes, Marcos Cobra, Nelson Pinheiro da Cruz, Roberto Faldini e Yvonne Capuano.

Contato: Tel. +55 11 9 9998-2155 – [email protected]

REDAÇÃO
Jornalista Responsável: Maria Alice Carnevalli - MTb. 25.085 • Repórter: Fernando Bóris;
Revisão: Angelo Sarubbi Neto • Ilustrador: Eduardo Baptistão

PROIBIDA A REPRODUÇÃO TOTAL OU PARCIAL DESTAS ENTREVISTAS sem permissão escrita e, quando permitida, desde que citada a fonte. Vedada a memorização e/ou recuperação total ou parcial, bem como a inclusão de qualquer parte da obra em qualquer sistema de processamento de dados. A violação dos Direitos Autorais é punível como crime. Lei nº 6.895 de 17.12.1980 (Cód. Penal) Art. 184 e parágrafos 185 e 186; Lei nº 5.998 de 14.12.1973


Hífen Comunicação
© 1996/2016 - Hífen Comunicação Ltda. - Todos os Direitos Reservados
A marca Sala do Empresário - Programa de Capacitação, Negócios e Estratégia Empresarial
e o direito autoral Pró-Memória Empresarial, são de titularidade de
Hífen Comunicação Editorial e Eventos Ltda.