Home











...



« Memória Empresarial • ANO XXVIII - Ed. 531 (09/06/2002)

Reciclagem na Livre Iniciativa

Além de contribuir para o equilíbrio ambiental, o mercado de recicláveis no Brasil está crescendo e transformando-se em grande oportunidade de negócio para empreendedores de todos os portes. Mas, para ingressar no ramo e ser bem sucedido, é necessário conhecer todas as etapas envolvidas no processo, bem como as características e o potencial da região em que se pretende atuar. Como a coleta de material ainda é realizada de forma amadora no País, ao contrário do que acontece nos Estados Unidos e na Europa, é preciso também estabelecer contatos e parcerias com os órgãos públicos, com o objetivo de ampliar e garantir a manutenção adequada da entrada de matéria-prima. Partindo do princípio de que para cada emprego direto são gerados quatro indiretos, numa empresa de reciclagem esse índice pode triplicar. Isso significa bom negócio para a sociedade e para quem busca novo nicho de atuação em termos de empreendimento. Quem destaca essa possibilidade, em depoimento exclusivo, é José Carlos Oliveira Froes, diretor de conteúdo do portal – www.reciclaveis.com.br – que acaba de completar um ano de funcionamento, fornecendo pela Internet as informações básicas sobre o ecoempreendedorismo.

TENDÊNCIA
"O mercado de reciclagem tem-se desenvolvido muito nos últimos cinco anos, com a entrada de empresas multinacionais e a crescente utilização de produtos feitos a partir de material reciclado. A tendência de crescimento desse setor na América Latina é da ordem de 70%. Como a reciclagem tem uma importância grande para o mundo e o mercado já está saturado em vários países, muitos grupos estão migrando para o Brasil em busca de novos negócios e oportunidades nessa área. Nossa maior dificuldade está no amadorismo da coleta. Nós ainda não temos um processo adequado para isso, até mesmo porque a educação ambiental não está sendo implantada como deveria. Os três aspectos básicos que impulsionam a reciclagem podem ser resumidos na educação, nas leis que pressionam a sociedade e os produtores a serem mais responsáveis e na economia. Por aqui, ainda estamos trabalhando mais com o aspecto econômico e temos que fomentar a questão dos impostos que são muito altos."

ETAPAS
"A reciclagem é um processo composto de três fases: coleta e separação, revalorização e transformação. Nessa última etapa, o material coletado, descontaminado e revalorizado passa a ser matéria-prima para a fabricação de novo produto. Somente após o fechamento desse ciclo é que podemos dizer que houve reciclagem. Muita gente que entra ou quer entrar no ramo de reciclados desconhece esse processo como um todo, o que faz com que o plano de negócio fique instável, pois cada fase requer uma forma de trabalho diferenciada, com parcerias que precisam ser montadas. Na fase de planejamento, é indispensável também fazer uma pesquisa e uma análise adequada dos resíduos que são gerados na região em que se pretende atuar, porque o Brasil, em razão da sua enorme dimensão territorial, possui características regionais muito próprias. Na medida em que se descobre qual o tipo de material mais disponível, é possível ter elementos para direcionar as estratégias da empresa. É possível atuar nas três fases conjuntamente ou de forma separada, dependendo da amplitude do projeto."

INFORMAÇÕES
"As pesquisas iniciais podem ser feitas por intermédio das secretarias de meio ambiente, em nível estadual, num primeiro momento, e depois em nível municipal. Outro fator importante seria colocar o projeto de forma que ele possa ter um braço social e, com isso, desenvolver parcerias durante essa fase, seja com os órgãos públicos que geralmente já têm um projeto de coleta estabelecido, seja com entidades do terceiro setor. Num segundo momento, é preciso definir qual o tipo de produto final que se deseja obter, considerando o cliente e a qualidade para dimensionar a fábrica de forma adequada. Para pequenos empreendedores, é viável investir numa empresa de coleta ou numa revalorizadora. No entanto, já fica mais difícil quando se trata de uma transformadora, que vai exigir investimentos maiores para gerar novo produto."


« Entrevista Anterior      Próxima Entrevista »
...
Realização:
IMEMO

MANTENEDORES:

CRA-SP

Orcose Contabilidade e Assessoria

Sianet

Candinho Assessoria Contabil

CNS

Hífen Comunicação


Pró-Memória Empresarial© e o Programa de Capacitação, Estratégia e Motivação Empreendedora Sala do Empresário® é uma realização do Instituto da Memória Empresarial (IMEMO) e publicado pela Hífen Comunicação em mais de 08 jornais. Conheça a história do projeto.

Diretor: Dorival Jesus Augusto

Conselho Assessor: Alberto Borges Matias (USP), Alencar Burti, Aparecida Terezinha Falcão, Carlos Sérgio Serra, Dante Matarazzo, Elvio Aliprandi, Irani Cavagnoli, Irineu Thomé, José Serafim Abrantes, Marcos Cobra, Nelson Pinheiro da Cruz, Roberto Faldini e Yvonne Capuano.

Contato: Tel. +55 11 9 9998-2155 – [email protected]

REDAÇÃO
Jornalista Responsável: Maria Alice Carnevalli - MTb. 25.085 • Repórter: Fernando Bóris;
Revisão: Angelo Sarubbi Neto • Ilustrador: Eduardo Baptistão

PROIBIDA A REPRODUÇÃO TOTAL OU PARCIAL DESTAS ENTREVISTAS sem permissão escrita e, quando permitida, desde que citada a fonte. Vedada a memorização e/ou recuperação total ou parcial, bem como a inclusão de qualquer parte da obra em qualquer sistema de processamento de dados. A violação dos Direitos Autorais é punível como crime. Lei nº 6.895 de 17.12.1980 (Cód. Penal) Art. 184 e parágrafos 185 e 186; Lei nº 5.998 de 14.12.1973


Hífen Comunicação
© 1996/2016 - Hífen Comunicação Ltda. - Todos os Direitos Reservados
A marca Sala do Empresário - Programa de Capacitação, Negócios e Estratégia Empresarial
e o direito autoral Pró-Memória Empresarial, são de titularidade de
Hífen Comunicação Editorial e Eventos Ltda.