Home











...



« Memória Empresarial • ANO XXVIII - Ed. 828 (17/02/2008)

Bola pra frente

Nada é mais forte do que a herança do espírito empreendedor que passa de uma geração para outra de uma família, resistindo ao tempo e ao poder econômico das grandes organizações. O exemplo de vida deixado por um pai talentoso, que soube transformar uma simples sapataria em uma empresa de artigos esportivos ainda nos anos 30, a partir de uma bola levada para conserto, acabou se tornando um tesouro sem preço. Essa conduta desbravadora serviu de inspiração para que Leonildo Dal Ponte, filho do imigrante italiano Benvenuto Dal Ponte, o responsável pelo pontapé inicial dessa história, retomasse o negócio, que foi comprado, no final da década de 1970, por um famoso grupo corporativo do mesmo segmento. Mesmo trabalhando como executivo, a idéia de seguir o caminho paterno acabou fazendo com que a rescisão do seu contrato fosse o empurrão necessário para que ele começasse a empreender do zero, mas usando toda a sua experiência na área. Foi assim que, em 1981, surgiu a nova Dalponte & Cia. Ltda.www.dalponte.com.br – na cidade de Veranópolis, interior do Rio Grande do Sul. Em depoimento exclusivo como diretor da empresa, Leonildo faz um relato comovente desse resgate que deu continuidade a uma iniciativa de sucesso nascida no século passado e transportada para os desafios da economia atual.

RETOMADA
"O estímulo para voltar a empreender veio porque os meus princípios não eram os mesmos da diretoria do Grupo que havia incorporado a empresa da minha família, o que me levou a sair de lá e, num espaço de quatro meses, eu já estava com a minha indústria de bolas, que era o que eu sabia fazer. O negócio começou bem pequeno, com nove colaboradores e com uma produção inicial de 40 bolas diárias. Como a Copa do Mundo de 1982 estava próxima e era um evento muito importante para o segmento esportivo, começamos a pensar em ações para promover o crescimento da empresa. Foi quando buscamos uma parceria com uma grande rede de lojas que vendia eletrodoméstico e fizemos um casamento. Para cada televisão vendida, o brinde era uma bola. Essa estratégia nos deu condição de expandir e de sairmos das 40 para 250 bolas produzidas por dia. Com isso, conseguimos o capital necessário para modernizar os equipamentos e contratar mais profissionais, principalmente na área comercial."


SEGMENTAÇÃO
"Produzíamos inicialmente as bolas para o futebol com derivação para o futebol infantil, que é a bola de brinquedo. Como as grandes marcas esportivas investiam tudo no esporte principal do Brasil, que é o futebol, nós percebemos que havia um segmento que estava sendo mal atendido e, em 1993, decidimos direcionar a Dalponte & Cia. para o Futsal. Iniciamos um trabalho na cidade de Caxias do Sul com a Liga Caixiense de Futsal. Fechamos um contrato com eles e participamos de eventos do município e da região. Dessa forma, traçamos uma ponte para abrir o mercado até a Federação Gaúcha de Futsal, que tem uma força grande, além de ser muito difundida no Sul do País. Com isso, passamos a produzir com características mais profissionais voltadas para a prática desse esporte. Preparamos o tênis, a bola e também começamos, num segundo momento, a criar os uniformes. Crescemos muito com esse foco específico e chegamos a ser os patrocinadores da Seleção Brasileira de Futsal de 2001 até 2007."


FUTEBOL
"A inovação sempre foi um aspecto muito forte que nos torna cada vez mais competitivos. Também buscamos certificações junto aos órgãos oficiais, o que fortalece a credibilidade dos nossos produtos. Esses fatores são muito importantes para que a empresa possa crescer e buscamos isso agora por meio da criação de unidades de negócio. Hoje, estamos com a Dalponte Materiais Esportivos, voltada para a comercialização dos produtos e com a Dalponte Indústria, Logística e Desenvolvimento. Com a expansão, precisamos aumentar a nossa participação no segmento de futebol, porque temos um limite de crescimento dentro do futsal e já estamos chegando nele. Vamos expandir agora redirecionando os nossos investimentos para o futebol por causa da amplitude que esse esporte nos oferece em termos de cobertura. Temos a intenção de ser a opção número um das marcas nacionais do mercado de futebol dentro de cinco anos."


« Entrevista Anterior      Próxima Entrevista »
...
Realização:
IMEMO

MANTENEDORES:

CRA-SP

Orcose Contabilidade e Assessoria

Sianet

Candinho Assessoria Contabil

CNS

Hífen Comunicação


Pró-Memória Empresarial© e o Programa de Capacitação, Estratégia e Motivação Empreendedora Sala do Empresário® é uma realização do Instituto da Memória Empresarial (IMEMO) e publicado pela Hífen Comunicação em mais de 08 jornais. Conheça a história do projeto.

Diretor: Dorival Jesus Augusto

Conselho Assessor: Alberto Borges Matias (USP), Alencar Burti, Aparecida Terezinha Falcão, Carlos Sérgio Serra, Dante Matarazzo, Elvio Aliprandi, Irani Cavagnoli, Irineu Thomé, José Serafim Abrantes, Marcos Cobra, Nelson Pinheiro da Cruz, Roberto Faldini e Yvonne Capuano.

Contato: Tel. +55 11 9 9998-2155 – [email protected]

REDAÇÃO
Jornalista Responsável: Maria Alice Carnevalli - MTb. 25.085 • Repórter: Fernando Bóris;
Revisão: Angelo Sarubbi Neto • Ilustrador: Eduardo Baptistão

PROIBIDA A REPRODUÇÃO TOTAL OU PARCIAL DESTAS ENTREVISTAS sem permissão escrita e, quando permitida, desde que citada a fonte. Vedada a memorização e/ou recuperação total ou parcial, bem como a inclusão de qualquer parte da obra em qualquer sistema de processamento de dados. A violação dos Direitos Autorais é punível como crime. Lei nº 6.895 de 17.12.1980 (Cód. Penal) Art. 184 e parágrafos 185 e 186; Lei nº 5.998 de 14.12.1973


Hífen Comunicação
© 1996/2016 - Hífen Comunicação Ltda. - Todos os Direitos Reservados
A marca Sala do Empresário - Programa de Capacitação, Negócios e Estratégia Empresarial
e o direito autoral Pró-Memória Empresarial, são de titularidade de
Hífen Comunicação Editorial e Eventos Ltda.